Há sempre um tanto, um quê, um algo mais, uma dúvida, uma tristeza, uma solidão em cada um.

Haviam várias maneiras de despertar todo meu amor por você. Conheci milhões de formas de tudo isso acontecer, dentro de uma pessoa só.

Desnudei minha alma, compreendi até onde ficava o limite de sua margem.

Entrei no teu mundo paralelo, e por lá fiquei tanto tempo, até o dia que entendi que estar lá era o melhor lugar do mundo, e que nunca mais iria querer sair de onde estava.

Conheci as suas fraquezas, os seus invernos, suas tardes tristes de outono, como também toda sua força em qualquer destas circunstancias.

Por várias vezes me perguntei onde é que foi que me prendeu?

Escrevi no papel, como se detalhasse num plano de guerra a minha defesa de todas as minhas falhas, pra tentar entender o porquê me atraiu tanto pra dentro de seu mundo, e nada consegui, nenhuma resposta concreta, além da sua verdade.

A verdade que existe em você é sua maior grandeza.

E tudo que é verdadeiro, passe o tempo que passar, permanece.

Eu tenho uma boa noticia pra você: A felicidade acordou, e hoje, não dorme tão cedo.

Talvez, eu nunca seja o que sempre sonhei ser pra você. Mas eu sei qual parte em seu coração eu ocupo.

Conheço as linhas que à mim pertencem.

Sou parte de um todo que ninguém o têm.

Lembranças de um hoje que ainda não foi definido, mas com certeza muito bem vivido e lúcido para se dizer que existe, que não é de mentira, que há sinceridade no sentimento e em toda força que ele tem.

O futuro é só amanhã, e o amanhã é todo pedaço de historia que escrevemos juntos todos os dias.

No mais, viver dessa incerteza e insegurança que existe no hoje, mas com a clareza e a consciência do quão real isto é, é o que me mantém forte, acreditando no impossível, e no quão o que é possível já faz bem viver.

Não te lembro mais do meu amor, não me esqueço mais de todo amor que vem de ti.

A vida é isso, ter a serenidade para aceitar, tantos as mudanças quanto o que nos é dado.

Amor à primeira vista é sempre aquele que nos faz apaixonar pelas atitudes da pessoa muito antes de enxergar o que existe nela.

Quando isso acontece, pouco importa a cor dos olhos, dos cabelos, da pele, ou qualquer coisa física.

Quando isso acontece, o restante vira apenas adereço.

Há sempre um tanto, um quê, um algo mais, uma dúvida, uma tristeza, uma solidão em cada um de nós. Mas o amor é capaz de curar tudo… Tudo mesmo!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Ricardo Ferraz
Pessoa comum, que gosta do trabalho, daquilo que faz, e sempre faz tudo com muito amor. Casado, pai de duas crianças lindas, e que, se dedica a escrever sobre a vida, nossas desilusões e aspirações, nas horas vagas, por amor a escrita, e acreditar que o amor é a nossa única e maior salvação. Escrever é liberdade!