Foram grandes ensinamentos. Tenho aprendido a superar os dias ruins. O que eu sei é que Deus está agindo.

Agora, só quero um lugar para descansar o coração, um lugar para colocar meus pertences emocionais.

Quero ar fresco, pés soltos, e dias de realização interior.

Quero pouco; o suficiente para me manter assim, sem correntes, sem apego sem tanta melancolia, sem viver me cobrando tanto.

Um lugar que acolha a paz que custei a adquirir, um lugar para me sentir livre e dona de mim.

Sem preço, sem culpa, sem desprezo, sem invasão, sem ter que revirar a mobília, quero minha companhia, quero o alicerce de Deus segurando minha alma.

Daqui só quero o que ficar na memória afetiva.

Quero o riso fácil, quero fazer as pazes com minhas cicatrizes.

Foram grandes ensinamentos. Tenho aprendido a superar os dias ruins.

O que eu sei é que Deus está agindo.

Certo ou errado torto ou descomplicado, há sempre algo chegando para o tempo de cada um.

Eu sinto isso cada vez que coloco o coração para se perceber.

Tenho feito o que posso; cansei de me achar alguém com superpoderes, alguém sempre disposta e de porta aberta para qualquer um entrar.

Cansei de aceitar que está bom para os outros e ruim para mim.

Quero o direito de pensar, de exercer, de fazer mudanças que caibam ao meu momento presente.

Sou transição, não vivo na inércia emocional.

Estou oferecendo à Deus a gratidão dos dias que já são moldados por algo que sinto que esbarra no tempo.

Hoje eu não vim aqui para pedir nada, mas só para me alertar mais e ter mais consciência de que não sou nada além do que um aprendiz dessa vida breve.

Não estou escolhendo, e sim, colhendo os frutos do que plantei com mais consciência e respeito.

Criei menos tempestade onde poderia haver mais paz absoluta, criei um jeito mais humano de ser compatível com o que busco.

Tudo é questão de entender, agir, colocar na balança o que acho como essencial.

Vitais são meus pontos de energia, a carga ruim que não acumulo, as coisas que desintoxicam o que vai dentro.

Quem sente, também se despede, quem ama sem ser correspondido também desiste e vai embora, quem se arruma para si mesmo deixa a vida mais alegre por dentro.

Eu acredito piamente no poder de algo invisível e transparente.

Esse é meu jeito de ser.

Na vida sempre haverá a lei do retorno, sempre haverá algo que ainda não foi dito, algo que ainda não foi descoberto, algo que precisará ser vencido com a força do acreditar.

Eu acredito, por isso deixo que tudo aconteça conforme é para ser.

Enquanto isso vou vivendo sem me condenar tanto.

Prisão perpétua, cárcere, culpas que não são minhas, excluo do meu dicionário interno.

Quero liberdade para prosseguir.

*DA REDAÇÃO SAG. Foto de Jurica Koletić no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.