“Eu vejo você e eu te amo mesmo nos momentos mais difíceis de nossas vidas”.

O amor verdadeiro é aquele que se revela ainda mais forte quando as coisas não estão indo bem.

Você tem que amar alguém nas fendas entre os grandes momentos.

Você tem que pegar a mão do outro quando estão sentados no sofá assistindo Shark Tank juntos, e tem que dar a ele um pequeno olhar de conhecimento que diz: “Eu vejo você e eu te amo aqui nos momentos mundanos de nossa vida”.

Você tem que entender quem você é, mergulhar fundo nas feridas do seu passado para não trazer essas feridas para o presente.

Você precisa saber quando é sobre você ou quando é sobre eles. Você tem que carregar sua própria dor.

É fácil se apaixonar por alguém, aproveitar a intimidade recém-criada e se perder no romance.

É fácil começar um novo amor. Mais difícil é a parte de ficar. A parte de aguardar.

A dificuldade vem quando a vida se tora difícil e os momentos são mais duros do que o amor, quando você está tentando juntar duas pessoas para formar uma unidade.

Quando a vida entra em cena – contas, pagamentos, empregos, estresse e atenções divididas – é quando o amor começa a parecer menos um romance e mais uma batalha.

É quando a melhor das intenções vira pó, quando duas pessoas que costumavam passar um dia na cama com seus corpos entrelaçados estão discutindo sobre os pratos – como se os pratos tivessem alguma importância.

Continuar amando alguém é uma arte. O começo é a parte mais fácil. Para continuar amando alguém, você precisa suspender o momento presente em sua mente e lembrar por que decidiu amar essa pessoa naqueles primeiros meses brilhantes de novidade.

Você tem que estar apaixonado quando não sente nenhuma ternura particular, quando as contas estão atrasadas ou o lixo não foi esvaziado ou você está se sentindo desvalorizado ou quando os monstros feios do seu passado o convenceram de que o que aconteceu então… qualquer desgosto que exista em sua memória – está aqui e é real e acontecerá novamente.

Você tem que fingir estar apaixonado quando tem pavor da decepção, de confiar em alguém, de acreditar que a pessoa com quem você está acordando não vai arruinar você, porque ela pode …O amor é estar ciente da rapidez com que alguém pode arruiná-lo.

Continuar amando alguém é conhecer a si mesmo e saber como seu passado tece uma história em seu presente.

Como o relacionamento que você teve ou não com seus pais se revela no relacionamento que você tem com seu parceiro – independentemente de você querer ou não.

São os momentos de dificuldade que revelam o verdadeiro amor.

Para continuar amando alguém, você deve examinar a si mesmo . Você não pode culpar de novo e de novo e de novo. Você não pode ser uma vítima da sua vida. Às vezes você tem que perceber que o problema é, em parte, você .

Continuar amando alguém é ser exposto a uma imagem espelhada de quão fodido você pode estar e ter que continuar enfrentando essa imagem repetidamente.

Continuar amando alguém é lutar para negar a parte de você que secretamente sempre acreditará que você não é digno de amor, para não deixar aquele verme insidioso de uma crença entrar em sua consciência e acender fogo em seu amor, em sua vida. .

Continuar amando alguém profunda e verdadeiramente é ver seu próprio eu nu e – por mais louco que seja – mostrar esse eu nu para outra pessoa.

Para expor essa pessoa a quem você é, por baixo das máscaras e das defesas e das paredes. Para dizer tão íntima e corajosamente: “Este sou eu.

“Aceite-me como sou.” E então espero que ele não se afaste de você, do verdadeiro você.

Continuar amando alguém é um ato de bravura. Embora trate de assuntos do coração, não é para os despreocupados. Não há nada de fraco em amar alguém. Nada tímido nisso. É para os fortes, aqueles dispostos a deixar o amor arruiná-los.

O amor é para aqueles que correm o risco de serem rejeitados na esperança de serem vistos. Estes são os guerreiros, aqueles que não estão dispostos a desistir de outra pessoa.

Aqueles que não vão manter seu parceiro em um padrão impossível sem antes se analisarem. Os que não vão culpar, mas vão resolver —  juntos.

Aqueles que, apesar de viverem na Cultura Descartável, não vão dispor de uma pessoa para alguma idealização distante de uma pessoa perfeita.

Aqueles que dizem –  você é minha pessoa  – e que lutarão para que funcione porque vale a pena lutar pelo amor.

Aqueles que não colocam suas idéias elevadas de felicidade nos ombros de outra pessoa, mas prometem ser felizes primeiro e depois compartilhá-la com uma pessoa que faz o mesmo.

Aqueles que sabem a diferença entre um amor que vale a pena e um amor que os está enfraquecendo desnecessariamente, um amor que está esgotando os dois.

Aqueles que saberão quando ir embora e quando ficar. Quem vai andar ou ficar quando for necessário. Aqueles que vão dizer a verdade  – especialmente para si mesmos, porque começa aí.

Continuar amando alguém é um desafio para quem tem força de vontade, para quem está disposto a encarar o medo e superá-lo sempre. É um distintivo de honra – manter um amor vivo. Leva tudo que você tem, mas os momentos bonitos sempre fazem valer a pena.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações TC. Foto de Shawnee D no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!