“Eu digo que pode haver 100 pessoas em uma sala, e 99 não acreditam em você, mas tudo o que você precisa é que apenas uma pessoa acredite”, Lady Gaga

Acredite, o amor verdadeiro nunca é perfeito e nem se mostra como o idealizado!

Nasce uma Estrela é um filme que nos apresenta isso claramente: A diferença entre um amor verdadeiro e um amor perfeito! O abismo que existe entre um amor que espelha gratidão e um amor egoísta!

Sempre me emociono quando vejo pessoas realizando seus sonhos!

Aquelas que batalham todos os dias e que durante um descanso e outro, se imaginam brilhando e realizando tudo aquilo que sonharam a vida toda, mesmo que a vida esteja apenas no começo.

Pensam: “Que bom seria se alguém olhasse para mim e resolvesse me dar uma chance!”, “Se alguém me amasse a ponto de me oferecer a oportunidade que eu sempre sonhei!”.

Uma pena, isso quase nunca acontece! As pessoas estão mais preocupadas em manter o seu sucesso e a sua riqueza do que em enaltecer o talento dos outros.

Depois de assistir o filme comecei a pensar nisso. E adoro filmes que me fazem pensar.

Pensei em como muitas pessoas poderiam ajudar a realizar sonhos de outras com uma simples ligação, mas não fazem. Possuem recursos para transformar vidas, mas não fazem.

Um dia depois de constatar isso, esse egoísmo que ronda os corações, até daqueles que dizem amar, ou juram amizade verdadeira, me deparei com uma adolescente cheia de sonhos cantando “Shallow”, a música tema do filme, e resolvi fazer a minha parte!

Decidi que podia apresentá-la para vocês e dar a minha contribuição, que não se compara ao que Jack fez a Ally, no filme, mas que demonstra o tamanho do meu amor!

Luiza Nobre, é o nome dela!

Cheia de talento, no despertar dos seus 13 anos, com uma vida pela frente, fez brilhar meus olhos e tocou verdadeiramente o meu coração!

Vi uma jovem, cheia de sonhos, e com um talento encantador!

As cenas do filme voltaram a minha mente, e eu só conseguia pensar: Quanto amor a procura de si mesmo! Quanto sentimento preso precisando se expressar! E logo imaginei o bem que esse vídeo poderá causar aos meus leitores!

Se sentir reconhecida e valorizada é muito mais valioso do que o dinheiro que possa vir da realização desse sonho. E por isso, quero que assistam a Luiza, antes de lerem as minhas considerações sobre o filme, para que possam entrar no clima do que realmente é verdadeiro em nós. E quero que me digam o que sentiram!

Espero que possam sentir a mesma emoção que eu senti quando ouvi! Depois continuamos a falar sobre o filme!

Assistir Luiza Nobre cantora.

Cantando "Shallow" – Nasce uma Estrela!

Posted by Iara Fonseca on Sunday, March 10, 2019

Sigam a Luiza Nobre no Instagram.

Foi só depois de escutar a Luiza, com esse vídeo tão verdadeiro, produzido e filmado pela Lua, com edição do Tom Viajando a pé que parei realmente para pensar no que a mensagem queria me dizer.

O refrão da música já nos faz pensar no quanto vivemos no raso sem querer nos aprofundar. Ele diz:

“Estou à beira do precipício!

Assista enquanto mergulho, nunca vou tocar o chão!

Atravessar a superfície onde não podem nos machucar.

Estamos longe do raso agora” (…).

Ouvir a Luiza cantando uma música que transmite tantos significados me fez perceber mais claramente a importância de reconhecer os talentos daqueles que nos rodeiam e o bem que isso pode causar a eles. E quando entendi a letra, completamente, tudo ficou ainda mais claro!

Além da transformação que podemos fazer na vida dos outros apenas ao reconhecer os seus talentos, outra questão que me veio a mente foi:

Enquanto a maioria vive uma vida rasa, na espera inconsciente de um amor perfeito, que nunca irá machucar, poucos, se encorajam a enveredar nas dores do amor verdadeiro, o amor real, que nos torna mais fortes e resilientes. E quem assistiu o filme entenderá o que eu estou querendo dizer.

Quem ainda não assistiu, assista, porque daqui para frente o texto conterá spoilers.

Analisei os meus sentimentos assim que o filme acabou e percebi algo que considerei muito importante:

O amor verdadeiro doa tudo o que tem, não falo de dinheiro, falo de tudo que estiver ao alcance. Não mede esforços para ver o outro feliz, quer enaltecer, quer vê-lo brilhar, cuida, se importa, está ao seu lado, principalmente nos momentos de dor e fracasso.

O amor perfeito, idealizado pela maioria das pessoas, desiste no primeiro deslize, na primeira demonstração de fraqueza, no primeiro momento de desespero… Sabe por quê? Porque o amor perfeito não existe. E se continuarem a buscá-lo, nunca o viverão.

O filme Nasce uma Estrela me impactou emocionalmente, de verdade!

Digam o que quiserem os “críticos” e especialistas.

Não havia assistido as outras versões de Star Is Born, que em português virou “Nasce uma Estrela”.

Para quem não sabe, o longa metragem é um remake que já teve outras três versões – e, ao contrário do que pensam, não foi criado a partir de uma história verídica, mas de uma reunião de fatos que realmente acontecem e sempre aconteceram nos bastidores do universo dos famosos.

A história

Ally (Lady Gaga) é uma mulher normal até demais, com um emprego convencional, que não a fazia feliz. Jackson Maine (Bradley Cooper) é um cantor de sucesso, mas se encontra em plena decadência pelo uso excessivo de álcool e pílulas.

Ela tem problemas sérios de autoestima, e ele, nunca conseguiu enxergar verdade em ninguém!

Ela o surpreendeu e o emocionou quando, por acaso, ele adentrou a casa de shows em que ela se apresentava em um número nada convencional, e ele a reconheceu, a valorizou, como nunca ninguém antes havia feito!

Os olhares se encontraram e ambos sentiram que muitas lições seriam aprendidas desse encontro do destino tão inusitado!

Ally sempre sonhou em ser uma cantora de sucesso, mas a ditadura da beleza foi muito cruel com ela, Jack então pergunta se ela compõe músicas próprias, e foi nesse momento, que ela teve a coragem de se mostrar inteira diante da sua maior fragilidade. Foi nesse momento que o medo de amar se fez forte, mas já não tinha mais jeito, o amor já tinha acontecido. O jeito era fugir, ou viver!

Ela cantou “Shallow”, a capela, algo ainda não terminado, que traduziu a sua essência em alguns segundos, e ele a olhou com os olhos do coração!

Depois de ouvi-la em sua plenitude, ele se sente a vontade, e então se revela a ela, como nunca antes havia conseguido se revelar a ninguém.

Conta sobre a sua criação difícil, sobre seus laços e mágoas, e ela, percebe que ele viveu no “raso” a vida toda, e nunca conseguiu se aprofundar, por medo de ser magoado, como já havia sido na infância. Ambos se identificaram naquele viver que, na verdade, era um extremo vazio!

O amor nasceu ali, naquela inteireza, mergulhados em suas fragilidades.

O amor nasce ali… Na forma como se apresentaram verdadeiros um ao outro, no encantamento percebível no olhar, que trouxe o que lhes faltava mutuamente.

O amor nasce ali, mas se fortalece em uma sucessão de acontecimentos… No momento em que ele realiza o maior sonho dela, aquilo que ela sempre quis, mas nunca teve oportunidade, nem ninguém que acreditasse nela o suficiente! Ela se torna eternamente grata e o seu amor indestrutível.

Esse é o verdadeiro poder que o amor exerce quando nasce da gratidão!

Ele também se sentia grato, pois viu no talento dela uma oportunidade de voltar a sentir vivo! Uma salvação para sair do “raso” que se tornou a sua existência!

Tudo parece perfeito e mágico, mas as dores que não eram tão evidentes ainda, logo se manifestaram, diariamente, e se mostraram evidentes demais. E vieram como uma avalanche a destruir uma história que, a princípio, parecia ser um conto de fadas.

A história mostra claramente que um relacionamento também pode se transformar em um vicio destrutivo se as dores emocionais não forem curadas, principalmente, se essa relação, não for ancorada no amor verdadeiro, aquele amor que suporta a “dor”, que a transformação, exige!

A Star is Born (2018)
LADY GAGA, BRADLEY COOPER
Credit: Clay Enos/Warner Bros.

O filme retrata como um homem pode se tornar vazio quando não mais consegue sentir amor no que faz, quando não mais encontra sentido na vida, e como isso pode fazer com que ele, fira, não só a ele, mas a quem estiver ao seu lado.

Mostra o quanto os traumas emocionais de infância podem destruir uma vida se não forem superados! Mesmo tendo tanto amor a oferecer dentro!

De forma envolvente e realista, os personagens demonstram precisar um do outro, e são gratos, mesmo quando as dores de cada um, machucam de uma maneira, que se teme ser irreversível!

Colocando na balança aquilo que possuem de bom, e o quanto a relação pode se tornar destrutiva, ambos caminham tentando se ajudar, mas algumas vezes, se prejudicam!

Querem o bem um do outro, mas acabam vivendo uma sucessão de decepções!

Ele com a sua leitura honesta de como ela estava sendo manipulada na formação de sua carreira, que foi lançada por ele, e depois deturpada por agentes, e ela, aceitando e cuidando, não apenas de um amante, mas de um filho de quem ela se sente responsável!

As criticas e o que eu acho delas

Escutei muitas críticas ao filme, e muitos o consideraram “raso”, com uma direção a baixo do esperado, segundo eles, essa constatação se deu ao analisarem a falta de profundidade nas cenas de Jack.

Para quem não sabe, Bradley Cooper, que interpretou Jack, é também o diretor do filme, e responsável pela apresentação da música “Shallow” no Oscar, que foi ovacionado pelo público e assistido no mundo todo.

Na minha opinião, ele fez um belo trabalho como ator, como cantor, e como diretor, mas talvez, essa impressão que tenha dado aos “críticos” de cinema, de que ele se preocupou mais com a Lady Gaga do que com ele, tenha sido mesmo o seu objetivo, afinal, esse era o primeiro filme que Gaga contracenava como protagonista! E ele interpretou um homem sem viço, “raso”, que tinha medo de se aprofundar emocionalmente, e o fez, perfeitamente.

Uma curiosidade interessante: para o papel, ele acompanhou durante 5 dias, a turnê de Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam. Quem conhece o cantor, percebe a semelhança na caracterização e nos trejeitos.

Criticaram também a falta de beleza da Lady Gaga, como se isso importasse. Era exatamente esse o papel dela! O que mais importa, pelo menos para mim, é a mensagem que o filme passa, e essa, vai muito além da produção, da direção, e até dos atores escalados, e o filme está impregnado de mensagens!

Quem possui sensibilidade para perceber as entrelinhas conseguiu enxergar que devemos deixar para trás os velhos hábitos que nos sabotam, para que possamos seguir em frente, e agarrar as oportunidades felizes que aparecerem, assim, de forma inusitada, parecendo coisa do destino.

Porque quando tudo parece dar certo, quando tudo que sempre sonhamos parece ter se realizado como em um conto de fadas, o sonho, esse que parecia impossível, pode começar a não mais fazer sentido, se antes, não tivermos dado um sentido verdadeiro a ele, principalmente, se resistirmos em abandonar os velhos hábitos, sabe? Aqueles que nos sabotam!

Eu amei o filme! E também fiquei muito feliz com a qualidade musical. Tanta sensibilidade só poderia resultar em muitos prêmios, e hoje, a Lady Gaga conseguiu um marco histórico, a canção escrita por ela em parceria com Mark Ronson recebeu 32 prêmios e, segundo a revista Billboard é a música com mais prêmios na história, ultrapassando o recorde que era de Beyoncé, com “Formation”, de 2016, que possui 28 troféus.

Durante o Oscar, “Shallow” recebeu a estatueta de Melhor Canção Original e, antes disso, já havia recebido quatro Grammys e conquistado o Bafta, Globo de Ouro, e muitos outros. É um feito inédito! Também para as novas gerações que possuem muitos sonhos! Ela deu um baile de elegância e em seu discurso disse algo parecido com o que Walt Disney com o seu “A diferença entre ganhar e perder é muitas vezes…não desistir”, já havia dito: “Não é sobre vencer, é sobre não desistir.”, disse ela.

E continuou:

“Se você tem um sonho, lute por ele.”

“Existe uma disciplina para a paixão.”

“… e não é sobre quantas vezes você é rejeitado, ou quantas vezes você caiu e foi derrotado, é sobre quantas vezes você levantou com coragem e seguiu em frente.”

Gaga emocionou!

Sempre me emocionei com os talentos das pessoas, e sempre estive aqui decidida a ajudar! Também recebo inúmeras ajudas, diariamente! E sou eternamente grata!

Cada talento que temos é uma forma de amor que devemos expressar, seja como for, nunca devemos engavetar um talento.

Ajudem vocês também, comecem hoje, a reconhecer os talentos de todos que estão a sua volta!

Façam o bem, não só a aqueles que vocês amam, não só a aqueles que são da família, façam porque é o certo, façam porque toca o coração… E se toca o de vocês, tocará o de milhões de outras pessoas também.

Ajude outras pessoas a realizarem seus sonhos!

Viva um amor verdadeiro, e pare de procurar um amor perfeito por medo de sofrer! Simplesmente porque se você passar a vida inteira em busca daquela pessoa perfeita, a sua vida passará, e o amor de verdade também, sem que você tenha, ao menos, percebido.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!