Estudo revela que pessoas religiosas são menons propensas ao suicídio

O estudo examinou 66.492 mulheres do “Nurses’ Health Study II” e 43.141 homens do “Health Professionals Follow-Up Study”, acompanhando-os por aproximadamente duas décadas. Os pesquisadores examinaram se, frequentar serviços religiosos estava associado a uma menor probabilidade de morte por suicídio, overdose de drogas ou álcool.

Várias outras características foram analisadas, incluindo idade, raça, região geográfica, renda, estado de saúde, comportamentos de saúde, tabagismo, saúde mental, outras formas de apoio social e muitas outras variáveis ​​também.

Anne Case e Angus Deaton cunharam o termo “mortes de desespero” para mortes relacionadas a suicídio, uso de drogas e intoxicação por álcool em seu influente artigo de 2015.

Eles argumentaram que essas mortes, muitas vezes, compartilham um contexto de desesperança e indiferença em relação à vida.

As mortes por desespero aumentaram dramaticamente nas últimas duas décadas, especialmente para homens e mulheres brancos sem diploma universitário.

As tendências recentes foram, de fato, tão severas que levaram à redução da expectativa de vida nos Estados Unidos por três anos consecutivos, em 2015, 2016 e 2017. Este é o declínio consecutivo mais longo desde a Primeira Guerra Mundial.

O recente artigo realizado pelo Human Flourishing Programaem Harvard, e publicado no JAMA Psychiatry, divulgado também no podcast JN, explora o potencial poder protetor da comunidade religiosa na prevenção de tais mortes por desespero.

Portanto, precisamos considerar recursos importantes para enfrentar o desespero e prevenir mortes por desespero, tanto nesses contextos quanto em outros. A comunidade religiosa pode ser um desses recursos.

O estudo não foi capaz de examinar os mecanismos pelos quais os serviços religiosos pareciam prevenir essas mortes por desespero. No entanto, vários mecanismos parecem plausíveis.

As relações sociais formadas dentro das comunidades religiosas podem ajudar a fornecer apoio e encorajamento quando os indivíduos enfrentam problemas e são confrontados com o desespero.

As comunidades religiosas também podem promover um senso de propósito maior que ajuda em tempos de luta. Ensinamentos religiosos sobre o valor inerente e dignidade de cada vida, e ensinamentos de que o suicídio é, portanto, errado, provavelmente também contribuem.

Ensinamentos sobre a responsabilidade de cuidar do próprio corpo podem prevenir comportamentos mais arriscados em relação ao consumo excessivo de álcool e uso de drogas.

Uma crença ou esperança de que Deus está presente, ou proverá um futuro melhor, também pode contrariar uma sensação de desespero.

Os ensinamentos religiosos também podem ajudar a entender melhor o sofrimento e ajudar as pessoas a encontrar significado dentro do sofrimento. O próprio sofrimento, embora inevitavelmente difícil, pode proporcionar oportunidades para o crescimento do caráter, fazendo com que a pessoa se volte para fontes transcendentes de fé, esperança e significado, e pode levar à reavaliação de seus propósitos e valores.

Esses novos significados também podem ajudar a evitar lutas severas com o desespero e, assim, também evitar mortes por desespero.

As comunidades religiosas podem muito bem contribuir de todas essas maneiras, como antídoto para o desespero.

Embora o estudo tenha se preocupado especificamente com o papel da comunidade religiosa, outras formas de participação comunitária também são valiosas e podem estar associadas a um menor índice de suicídio. No entanto, o fato de as comunidades religiosas oferecerem não apenas apoio social, mas também propósito, esperança e significado dentro do sofrimento pode ser, em parte, o motivo pelo qual nós e outros consideramos a comunidade religiosa mais fortemente benéfica para prevenir o suicídio e a mortalidade do que outras formas de apoio social.

O apoio social e outras formas de vida comunitária são importantes. No entanto, para aqueles com compromissos religiosos, as formas comunitárias de participação religiosa podem ser especialmente úteis.

Seguindo em frente

Com o mundo em estado de crise da pandemia de coronavírus, questões de desespero aumentaram assustadoramente. As taxas de suicídio nos Estados Unidos e no mundo todo vêm aumentando há algum tempo.

Precisamos abordar esses problemas de uma variedade de perspectivas, incluindo aquelas relativas a contextos econômicos, abordagens terapêuticas potenciais e abordando as condições que levam ao desespero.

No entanto, também devemos olhar para os recursos que nos ajudam a enfrentar o desespero diretamente.

A comunidade religiosa é um desses recursos.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informaçoes PT. Foto de Jack Sharp no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!