Pessoas com maior humildade intelectual mostram maior escrutínio em relação a “notícias falsas” sobre o coronavírus, diz estudo.

Uma nova pesquisa publicada na Social Psychological and Personality Science sugere que a humildade intelectual é um traço que pode proteger contra a desinformação na mídia ou “notícias falsas”.

Uma série de estudos descobriu que pessoas com maior humildade intelectual eram consistentemente mais inclinadas a investigar alegações falsas sobre COVID-19.

Tem havido grande preocupação com a enorme quantidade de desinformação que circulou desde o início da pandemia do coronavírus.

Essas informações falsas incluem teorias de conspiração sobre a origem do vírus e afirmações enganosas que minimizam a gravidade da pandemia.

A mídia, acadêmicos e líderes mundiais têm discutido os perigos dessa desinformação, sugerindo que tais afirmações falsas podem reduzir a adesão a comportamentos de proteção e promover a disseminação do vírus.

Uma equipe de pesquisa liderada por Jonah Koetke propôs que, quando confrontadas com informações questionáveis, existem certas ações que as pessoas podem realizar para avaliar se as informações são confiáveis ​​ou não, como verificar um artigo de notícias ou buscar fontes alternativas de informação.

Eles chamam essas ações de comportamentos investigativos e propõem que a tendência de se envolver nesses comportamentos depende das características de uma pessoa – e, especificamente, de sua humildade intelectual.

“Estávamos interessados ​​neste assunto por dois motivos. Em primeiro lugar, estávamos interessados ​​porque a desinformação sobre o COVID-19 é uma questão urgente e perigosa. Achamos crítico pesquisar maneiras de mitigar os efeitos nocivos dessa desinformação. Em segundo lugar, de uma perspectiva teórica, estávamos interessados ​​em descobrir o que prediz o envolvimento nos tipos de comportamento que podem proteger as pessoas da desinformação”, disse Koetke, estudante de graduação da Universidade de Pittsburgh.

A humildade intelectual se refere à capacidade de reconhecer as próprias deficiências intelectuais e aceitar a possibilidade de estar errado.

Pessoas com forte humildade intelectual tendem a ser mais motivadas a buscar conhecimento e mais capazes de distinguir entre um argumento forte e um argumento fraco.

Entre três amostras separadas de americanos, Koetke e colegas exploraram se os indivíduos com maior humildade intelectual estariam mais dispostos a examinar a desinformação do COVID-19.

Um estudo inicial apresentou aos participantes duas manchetes reais relacionadas ao COVID-19 e duas manchetes falsas relacionadas ao COVID-19.

Os participantes foram questionados sobre a probabilidade de verificar os fatos do título, examinar a fonte do artigo, buscar opiniões alternativas ou ler o artigo completo.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas com maior humildade intelectual eram mais propensas a se envolver nesses comportamentos investigativos em resposta às manchetes falsas – mas não mais propensas a investigar as manchetes reais.

Koetke e colegas dizem que isso sugere que a humildade intelectual só é relevante quando se trata de investigar informações questionáveis ​​que parecem desalinhadas com o conhecimento confiável.

Dois estudos adicionais replicaram esses efeitos. É importante ressaltar que o terceiro estudo analisou o comportamento real, em vez de intenções autorreferidas.

Os entrevistados viram duas manchetes de notícias falsas minimizando a importância de usar uma máscara para evitar a propagação do vírus.

Para cada título, eles tiveram a oportunidade de abrir uma nova guia e pesquisar mais informações sobre o artigo. Em consonância com os estudos anteriores, os entrevistados com maior humildade foram significativamente mais propensos a investigar os artigos de notícias falsos, optando por pesquisar mais informações online.

É importante ressaltar que em todos os três estudos, os pesquisadores controlaram uma série de variáveis ​​que podem afetar a interpretação de uma pessoa de notícias falsas – como pensamento analítico, educação e familiaridade com o artigo – e os efeitos da humildade intelectual permaneceram significativos.

“A conclusão do nosso trabalho é que é importante sermos humildes em nosso próprio conhecimento ao encontrar desinformação. Em nossos estudos, descobrimos que aqueles com níveis mais elevados de humildade intelectual, ou aqueles dispostos a admitir que o que pensam e acreditam pode ser falível, estavam mais motivados a se envolver na investigação de desinformação e em busca de evidências e fatos”, disse Koetke ao PsyPost.

Os pesquisadores afirmam que suas descobertas sugerem que, embora as pessoas com alto nível de humildade intelectual estejam abertas a novas perspectivas, elas não endossarão de forma não seletiva qualquer opinião que encontrarem.

“Em vez disso”, observam os autores do estudo, “eles querem que suas crenças sejam baseadas em evidências sólidas e, portanto, se comportam de acordo, investigando a validade das informações para que possam rejeitar alegações falsas. Essas descobertas, portanto, sugerem que a humildade intelectual pode fornecer parte da motivação por trás do engajamento em comportamentos que lutam contra a desinformação. ”

Uma limitação da pesquisa atual foi que os estudos não avaliaram se o uso de comportamentos investigativos foi realmente útil na avaliação da desinformação, e os autores sugerem que estudos futuros devem explorar isso.

Eles reconhecem que é possível que investigar falsas alegações possa sair pela culatra, levando as pessoas a se sentirem excessivamente convencidas sobre uma alegação após tomarem medidas investigativas para examinar sua origem.

“A principal ressalva para nosso artigo é que as descobertas foram correlacionais. O trabalho futuro deve se concentrar na manipulação da humildade intelectual para determinar a causa ”, disse Koetke.

O estudo, “Humildade intelectual prediz o escrutínio da desinformação do COVID-19”, foi escrito por Jonah Koetke, Karina Schumann e Tenelle Porter.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações PP.*Foto de Elizeu Dias no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!