Estudo fornece evidências de que meditar com bondade diminui o envelhecimento celular

Por ERIC W. DOLAN

Em uma nova pesquisa publicada na Psychoneuroendocrinology, os cientistas mostraram que a meditação da bondade amorosa tem um impacto positivo no nível celular, indicando que pode haver uma diminuição considerável no ritmo de envelhecimento de modo geral.

O estudo examinou como os diferentes tipos de meditação influenciaram o comprimento dos telômeros, um indicador do envelhecimento fisiológico.

Os telômeros são as extremidades do DNA de nossos cromossomos, que ajudam na replicação do DNA e diminuem com o tempo.

“A idade cronológica e a idade biológica não são idênticas. O primeiro é medido em anos, enquanto o segundo é frequentemente indexado pelo comprimento dos telômeros ”, explicaram os autores do novo estudo. “Os telômeros diminuem progressivamente com a divisão celular (ou seja, envelhecem) em geral, mas também podem ser reabastecidos ou prolongados pela enzima telomerase.”

Para o estudo de 12 semanas, os pesquisadores recrutaram 176 participantes entre 35 e 64 anos de Durham e Orange County da Carolina do Norte. Todos os participantes relataram ter pouca ou nenhuma experiência em meditação.

Os participantes foram aleatoriamente designados para um workshop de meditação de bondade amorosa de 6 semanas, um workshop de meditação de mindfulness de 6 semanas ou um grupo de controle da lista de espera.

Para medir o comprimento dos telômeros, os pesquisadores coletaram amostras de sangue dos participantes no início e no final do estudo.

Enquanto o workshop de meditação da atenção plena ajudou os participantes a cultivar uma atitude sem julgamento e se concentrar no momento presente, o workshop de meditação da bondade ajudou os participantes a cultivar sentimentos calorosos e amigáveis ​​com os outros.

No geral, o comprimento dos telômeros tendia a diminuir para todos. “No entanto, a prática diária da meditação da bondade parecia amortecer esse atrito”, disseram os pesquisadores. Os participantes do grupo de bondade amorosa “não mostraram redução significativa dos telômeros ao longo do tempo”.

“Enquanto os participantes do grupo de atenção plena, em média, mostraram redução significativa dos telômeros ao longo do tempo, essas mudanças foram intermediárias entre os grupos de meditação da bondade amorosa e de controle da lista de espera”, acrescentaram os pesquisadores.

O estudo não é o primeiro a encontrar uma relação entre meditação e comprimento dos telômeros.

Uma pesquisa publicada na revista Cancer em 2014 descobriu que os telômeros mantinham o comprimento em sobreviventes de câncer de mama que praticavam meditação da atenção plena. Além disso, um estudo de 2018 na revista Brain, Behavior, and Immunity descobriu que o comprimento dos telômeros realmente aumentou nos participantes do retiro de meditação após três semanas.

Mas o novo estudo foi o primeiro a comparar a meditação da bondade e a meditação da atenção plena.

O mecanismo subjacente que vincula a meditação e o processo de envelhecimento ainda não está claro.

Os participantes forneceram relatórios diários de emoções ao longo do estudo, mas as mudanças nas emoções positivas e negativas não tiveram relação com as mudanças no comprimento dos telômeros.

O estudo, “A meditação da bondade amorosa retarda o envelhecimento biológico em iniciantes: evidências de um estudo controlado randomizado de 12 semanas”, foi de autoria de Khoa D. Le Nguyen, Jue Lin, Sara B. Algoe, Mary M. Brantley, Sumi L. Kim, Jeffrey Brantley, Sharon Salzberg e Barbara L. Fredrickson.

*Via Psy Post. Tradução e adaptação Seu Amigo Guru.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!