Empresários colocam a mão no bolso e doam cerca de 100 milhões para hospitais em SP

Como não podia ser diferente, os abastados, que colecionaram riquezas exorbitantes enquanto a grande maioria dos brasileiros viviam uma vida que beira à miséria, resolveram se solidarizar com o momento crítico que o mundo vem enfrentando, em especial e com força potencializada, a cidade de São Paulo.

Aqueles que possuem muito mais do que precisam, e acumularam fortunas beneficiados por um sintema que privilegia quem tem mais e oprime quem tem menos, agora, se encontram em condição igualmente especial, podendo doar parte de suas “economias” para que a saúde não colapse de vez esse país que já sangrava após “rombos” na administração pública por suscetivos governos.

O Governador João Dória anunciou a ajuda vinda de 28 empresários que doaram R$ 96 milhões. A doação será destinada para compra de equipamentos e suplementos para os sistemas hospitalar, de saúde e de segurança pública, e a decisão foi tomada através de vídeo conferencia que reuniu um comitê empresarial com 132 empresários.

É fato que os que tem mais, muito mais, precisam agir de forma solidaria nesse momento.

Ficou acertado que serão doados:

– 345 respiradores e monitores para implantação no Hospital das Clínicas

– R$ 4 milhões para a compra de equipamentos hospitalares

– cem mil máscaras cirúrgicas no valor de R$ 300 mil

– R$ 25 milhões para apoio com logística e serviços

– R$ 1 milhão para montagem de hospital de campanha em parceria com o Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas, com capacidade para – 100 leitos

Planejamento para o atendimento de pessoas que apresentam sintomas

Estão previstas a viabilização de dois centros de acolhimento em escolas estaduais de Paraisópolis, na zona sul da capital paulista, com mais de mil leitos, para atender pessoas com sintomas da covid-19 e R$ 1 milhão para apoio a pequenos e microempreendedores.

Escassez de alimentos e ajuda aos mais carentes

Muitas pessoas enfrentam uma forte privação alimentícia nesse momento. Famílias estão sem poder trabalhar e uma quantidade assustadora de profissionais liberais não podem mais ganhar o pão de cada dia. Pensando nisso, o dinheiro recebido será destinado para ajudar os mais necessitados:

-R$ 7 milhões em alimentos e R$ 1 milhão em refeições prontas;

– R$ 5 milhões em cestas básicas e itens de primeira necessidade para comunidades carentes;

– um milhão de litros de álcool 70%;

– 150 mil litros de álcool que serão transformados em álcool em gel;

– R$ 5 milhões em álcool em gel;

– R$ 1 milhão em produtos de limpeza e higiene pessoal;

MUDANÇA: O Bom Prato fará entrega de alimentos em domicílio e em embalagens descartáveis

Atenção especial aos que moram em locais de risco como as favelas

Higiene: Serão entregues nesses locais 275 mil kits de limpeza para residências, higiene pessoal, cestas básicas, água potável e gás;

Mais 10 mil kits de camas e insumos serão destinados para a instalação de alojamentos provisórios no sentido de isolar as pessoas com sintomas.

Para o tratamento de idosos

Serão distribuídos kits de EPI para as equipes que fazem acolhimento a idosos em instituições de longa permanência – tanto estaduais quanto municipais.

O Estádio do Pacaembú já começou a transformar suas instalações em hospital de campanha que receberá os pacientes suspeitos de terem contraído o Covit 19.

DA REDAÇÃO – SEU AMIGO GURU *Com informações do R7

COMPARTILHAR

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!