Empatia: Capacidade de intuir, compreender e se conectar com a realidade emocional dos outros.

Você sabia que existem 5 tipos de empatia? Veja a baixo com quais delas você se identifica.

Você sabe que tipo de empata você é?

Cada um de nós sente o mundo e o que nele acontece de uma forma particular e isso também determina as nossas decisões e até a forma como entendemos a vida …

Talvez você não saiba mas, existem diferentes tipos de empatia. São personalidades que integram personagens particulares com uma forma predominante de empatia.

Porque embora concebamos esta dimensão como a mera capacidade de intuir, compreender e conectar-se com as realidades emocionais dos outros, na realidade, mostra uma ampla gama de nuances, singularidades e cadências que a tornam mais complexa do que pensamos.

John Steinbeck disse que você só pode compreender as pessoas se as sentir em você mesmo. É certo. Porém, há quem sinta o ser humano de uma forma mais particular. Outros, por outro lado, mostram uma maior sensibilidade ao mundo animal ou aos ambientes naturais. Existem também aqueles que mostram uma ligação mais intensa com os problemas sociais e com aqueles que sofrem injustiças.

É como se o cérebro emocional e as regiões que orquestram os processos empáticos se manifestassem de maneira particular em cada um de nós. São diferentes formas de sentir que também norteiam nosso comportamento e até mesmo nossas decisões.

A empatia pode se manifestar de várias maneiras. Esta dimensão extraordinária nos permite conectar com as pessoas, o mundo, suas manifestações e até mesmo com o mundo animal.

Tipos de empatia, diferentes maneiras de sentir e se conectar

Uma das figuras mais reconhecidas no campo da pesquisa empática é a Dra. Judith Orloff. Em livros como The Empath’s Survival Guide, ela descreve esse perfil de personalidade como figuras com uma sensibilidade mais pronunciada, com problemas para controlar o estresse e que, por sua vez, se definem como esponjas emocionais autênticas.

Empáticos esponja absorvem toda a negatividade, problemas ou preocupações dos outros.

Agora, há uma nuance. Segundo ela, existem diferentes tipos de empatia e é comum que muitas pessoas obtenham notas mais altas em tipos específicos. Ou seja, embora seja verdade que toda mulher ou homem empático seja mais receptivo e sensível a tudo o que os cerca, às vezes, podemos descobrir que a empatia se concentra mais significativamente em uma determinada área.

Analisamos cada uma dessas dimensões a seguir.

1. Empatia emocional

Essa primeira tipologia está presente na maioria de nós. Ou seja, podemos capturar, ler e interpretar as emoções dos outros. No entanto, existem aqueles que mostram uma habilidade especial para se conectar com o mundo emocional de outras pessoas. Isso se traduz em vivenciar com grande intensidade na própria pele a preocupação do outro, suas necessidades, anseios, alegrias, medos e desejos.

O risco de ser um empático emocional é que é comum cair nas mãos de um narcisista.

O primeiro é um grande provedor de atenção, carinho e compreensão, algo que para o segundo é essencial para sobreviver, por isso eles não hesitam em manipulá-lo para conseguir o que se deseja.

2. Empatia física: eu sinto sua dor em mim

Na Universidade de Stanford, foram realizadas pesquisas para entender melhor um tipo de empatia: a física, são pessoas que conseguem experimentar com grande intensidade a dor dos outros em si mesmo.

Quando você testemunha o sofrimento físico de alguém, essa visão pode ser muito perturbadora porque você vive sobre sua própria pele, porque sofre quase da mesma maneira.

Tudo isso tem um correlato neurológico. Regiões como o giro pós-central, o lobo parietal inferior, o tálamo ou a amígdala orquestram essa sensação. Assim, cenas como ver como alguém se machuca, sofre um acidente ou ainda mais, como ela vive determinada doença, podem ser um tanto perturbadoras para muitos tipos de empatas.

3. Empatia com os animais

Esse tipo de empatia ocorre com alta frequência. Existem homens e mulheres muito mais sensíveis do que outros às realidades dos animais. Não só se sentem mais próximos e apegados a eles, mas também sentem seu sofrimento e se sentem muito ligados a eles, por isso dedicam parte de suas vidas à sua atenção, cuidado e proteção.

4. Injustiça social

Desigualdades, pobreza, racismo, discriminação, abuso, violência, falsidade … Um dos tipos de empatia que também podemos apreciar é o das injustiças sociais.

São figuras que vivenciam uma reação maior a quem sofre essas vivências e isso os leva a desenvolver empregos para poderem lutar contra essas realidades.

“Tenho medo de ferir o coração de alguém. Por quê? Porque eu sei como dói”.

5. Empatia comportamental

Alguns têm uma capacidade única de compreender o comportamento dos outros, ou seja, saber por que as pessoas agem daquela maneira também faz parte da empatia.

Essas pessoas sabem identificar motivadores e realidades emocionais nos outros que os impelem a fazer certas coisas ou reagir dessa maneira e não de outra.

Este tipo de personalidade empática é muito característico de educadores, psicólogos, psiquiatras, terapeutas etc. Compreender o comportamento humano pode ser complexo, mas, às vezes, ser particularmente empático em relação a essa área pode ajudar.

Para terminar. É verdade que todos nós temos faculdades empáticas, porém cada um de nós pontua mais alto em algumas tipologias do que em outras.

Isso norteia nossas escolhas de vida, nosso jeito de ser e também a maneira como nos relacionamos com os outros. Entendê-lo, por sua vez, permite que nos conheçamos muito melhor.

“Por outro lado, não basta apenas você saber qual tipo de empata você é. Você precisa se conhecer a ponto de não se deixar levar pela ignorância em exercer esse poder. Você precisa aprender, antes de mais nada, como lidar com ele positivamente para que ele não acabe se tornando o seu pior inimigo.

Para isso será preciso que você se comprometa a usá-lo para o seu bem e para o bem do mundo e conhecendo as suas faculdades não lute contra ela ou tente controla-la. Ao invés disso, desenvolva o domínio das suas emoções antes de se envolver com os sentimentos dos outros.

Não tente ajudar os outros com esse seu poder sem antes obter a inteligência emocional necessária!

Se assim o fizer, vai se arrepender amargamente porque sua mente poderá criar traumas e neuroses difíceis de serem superadas.

De qualquer maneira, é urgente que você que acordou para o fato de que é um empata, busque autoconhecimento e desenvolva a inteligência e emocional, caso contrário, você está sempre vivendo em estado de sofrimento e se justificando nas dores dos outros.

Quer ser feliz de verdade?

Cuide da sua empatia!

Faça essa jornada interior! Mesmo desafiadora, a liberdade que você encontra pelo caminho, não tem preço.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações LLM. Foto de Andriyko Podilnyk no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!