É tão masoquista insistir em amar quem não te ama… Aceita que não vai rolar, vai doer menos, e siga em frente!

Sei que não conseguimos agradar a todos e que nem sempre seremos correspondidos no amor que sentimos, mas saber não significa aceitar e não aceitar é o que atrapalha todo o resto!

Forçar uma amizade, por exemplo, que o tempo todo demonstra que você não é importante e é totalmente e facilmente substituída por outra e outra e outra… também é masoquismo e chega a ser burrice.

Tenho dó dos burros porque sempre carregam as cargas, e possuem o costume de não reclamar para quem merece ta reclamação, reclamam apenas internamente, e esse sentimento negativo que acumulam dentro, acabam resultando em dores ou doenças…

Os burros trabalham de sol a sol e não recebem nenhum reconhecimento… Ajudam, ficam depois do expediente, quando todos já estão em casa com suas famílias, eles ainda estão fazendo algo para os outros, e nunca tiram um minuto para fazer o que realmente gostam.

Ninguém enxerga de verdade dos burros. Todos fingem gostar deles, mas na verdade, só lembram que eles existem quando precisam deles.

Geralmente, os burros amam pessoas praticamente impossíveis de serem conquistadas, ou se apaixonam pelo chefe (casado), ou por um casado qualquer, ou por uma pessoa que mora em outro país e que possui ideais e sonhos totalmente diferentes dos dele. Ou por uma pessoa que ama outra pessoa…

E mesmo sabendo que é impossível, eles insistem nesse amor de maneira masoquista, insistem em amizades que não são recíprocas, insistem em situações que trazem apenas sofrimento… Eles são assim mesmo, cheios de amor… Mas canalizam esse amor em locais errados, e passam a ser apenas mais um… em meio a toda seca que existe no coração humano.

Se você acredita ser o “burro” desse texto, ainda é tempo de acordar e mudar o jogo!

Seja para você o que você é para os outros! Acorda, você nasceu sozinho e vai morrer sozinho, e precisa aprender a lidar com essa solidão de maneira saudável! Precisa aprender a gostar da sua própria companhia e parar de se dedicar a quem não dá a mínima para você!

Se é para doar seu tempo a alguém, que seja a quem realmente precisa, aos necessitados, aos doentes, aos que precisam de apoio psicológico, mas não a quem apenas quer te usar e humilhar… Caia fora dessas pessoas que só querem você como burro de carga!

Se afaste sem medo!

Dê um basta ainda hoje em situações e pessoas que te fazem de trouxa, e não seja mais esse “burro”, nem se trate como um, se for para ser um animal prestativo, escolha ser um Leão, um Puro Sangue, ou um Condor, uma Águia, sei lá, escolha um animal de poder, que não se deixa intimidar e nem pode ser adestrado.

Um animal selvagem que sabe se defender e fareja de longe, o que, e quem, poderá se tornar um perigo real, a tempo de tomar distancia e se defender de qualquer que seja o ataque.

Viva intensamente! E pare de perseguir amores e amizades que não merecem, não seja masoquista!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!