É muito obvio perceber quando alguém se deixa controlar totalmente pelo Ego:

Aquela colega de trabalho que vive competindo com os outros, mesmo de setores diferentes, tentando se sobrepor a todos, o tempo todo.

Aquela pessoa que posta fotos cada vez mais chamativas, incluindo de partes intimas do corpo para ganhar curtidas.

Aquele parente que sempre causa uma briga nas festas de família ou aquela amiga que quer ser sempre o centro das atenções nas conversas do grupo e, quando não é, cria alguma situação desagradável, conta uma tragédia e até desmaia.

Aquele ex namorado que já tem outra pessoa na vida mas sempre volta para procurar a ex impedindo que ela siga em frente.

Aquele vizinho que coloca o som alto ou estaciona o carro na vaga que quer, desrespeitando as normas do condomínio, ou aquele patrão que adora humilhar o funcionários.

O que será que estas pessoas querem suprir ou esconder?

Carência, baixa autoestima, insegurança, apego, vazio…

Quando você começa a estudar um pouco mais sobre espiritualidade e a mente humana, começa também a mudar sua forma de ver as coisas, pessoas e situações.

Coisas nas quais eu sequer reparava, hoje me trazem profunda alegria.

Outras que me irritavam profundamente, hoje trazem compaixão e reflexões profundas.

É interessante se observar neste percurso.

Enquanto o Eu quer se conectar, agradecer, perdoar, evoluir, tomar as rédeas da própria vida, acrescentar informações ao Todo, o Ego quer atenção, está apegado à coisas e pessoas, julga a si mesmo e ao outro, quer controle.

Enquanto o Eu ama, o Ego possui, domina, subjuga, prende. Enquanto o Eu quer seguir, ignorar certas situações, o Ego quer se vingar, guarda rancor, se vitimiza.

Reparo tudo isso em mim e nas pessoas que estão à minha volta também. Considero como parte do processo.

Quando você diz que prefere guardar rancor a perdoar alguém, você está sob controle do Ego.

Quando você age de forma a parecer ou se sentir superior a outra pessoa, você está sob o controle do Ego.

Quando passa a controlar a vida de alguém tolhendo-lhe a liberdade, você está sob controle do Ego.

Quando mente, engana e é capaz de fazer qualquer coisa para obter atenção, está sob o controle do Ego.

Quando você não sente empatia, está sob controle do ego.

Quando você ofende uma pessoa, você está sob controle do Ego.

Quando acredita que é apenas carne, você está sob controle do Ego.

Quando você ridiculariza o outro, você está sob o controle do Ego.

Quando você quer se vingar, revidar, você está sob o controle do Ego.

Quando faz algo e se ofende porque o outro não agradeceu, você está sob o controle do Ego.

O Ego não acredita na lei do retorno. Quer fazer “justiça” com as próprias mãos.

O Ego prefere uma doença física ou psíquica ao perdão e a cura.

Note que o Ego busca fora tudo aquilo que não aceita que tem dentro: amor, felicidade, atenção, respeito, poder, força.

Tudo isso já existe dentro de cada um de nós.

Se somos filhos de Deus, parte deste Todo indivisível, tudo que tem nele tem em nós também.

Que sentido teria nos criar e entregar a chave para o amor, a felicidade, a força nas mãos de uma outra pessoa para que fossemos buscar através dos atos descritos acima?

Percebe a contradição?

Cada vez que me vejo agindo de forma egoica, paro, respiro, me analiso, me perdoo e sigo em frente.

Estamos aqui pra isso mesmo, aprender, evoluir. Caso contrário, estaríamos em outro plano.

Pense nisso!

Namastê

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Kássia Luana
escritora, promotora de vendas e divulgadora Seicho No Ie (SNI). Apaixonada pela vida, acredito na auto cura, na gratidão e amor ao próximo.