A quantidade de dinheiro que você tem, pouco importa a Deus, o que importa mesmo é o seu caráter, o bem que você faz e o amor que você oferece ao mundo!

Quando uma pessoa coloca o dinheiro a frente de tudo, ela prova que o seu amor tem um preço e nenhum valor. E que a sua alma está desconectada do verdadeiro propósito divino!

O dinheiro só é bem-vindo na vida de uma pessoa quando ele chega como energia que se move para o bem-estar de todos, e não só para o próprio bem de quem o possui.

O dinheiro tem valor quando ele chega como consequência do trabalho e da grandeza dos nossos atos, não quando vem às custas da escassez alheia.

O amor aliado ao dinheiro promove o bem da humanidade, diminui distancias, desfaz desigualdades, contribui para o crescimento e para a extinção das injustiças que impõe os precipícios das classes sociais.

Para o amor não existe meritocracia pois quem ama consegue enxergar amorosamente e com sabedoria a disparidade das oportunidades na Terra.

Uns nascem cheios de oportunidades, conveniências e facilidades, enquanto outros vivem a miséria da invisibilidade, mesmo lutando a cada dia por um lugarzinho ao sol!

A quantidade de dinheiro que você possui, para mim, pouco importa, muito menos quando você o utiliza apenas em benefício próprio, e quando acredita ser você um merecedor desse Status Cool. Principalmente quando você pensa que por tê-lo, se torna melhor do que os outros.

Quanto mais eu reconheço a minha unicidade com Deus mais eu me torno UM com essa força que criou tudo e compartilhou cada pedacinho desse tudo com cada um de nós.

Acredito que o dinheiro e o poder são questões fornecidas que fazem parte de uma prova redigida para avaliar se aprendemos as lições diárias que Deus nos impõe. E não possuir nem um e nem outro também faz parte dessas mesmas questões que envolvem a máxima de dar e receber.

Quando só recebemos e não damos, ou damos com uma mão e tiramos com a outra, estamos participando de um teste divino que avalia a nossa capacidade de amar ao próximo como a nós mesmos.

Quando não temos a energia do dinheiro brilhando em nossas vidas, as questões que precisam ser resolvidas são vinculadas a humildade e a resiliência.

Humildade em aprender a viver com pouco e capacidade de o transformar em muito, com gratidão e resiliência para seguir em frente mesmo com os sobressaltos da vida.

Como cada ser é diferente, cada um também necessita resolver suas próprias questões, que são únicas, já que nem todos nós estamos cursando o mesmo ano escolar nessa Terra.

Até as escolas que frequentamos são diferentes! Particulares ou públicas, vivemos nas trincheiras do desconhecido em busca de burilar o nosso espírito, evoluindo para nos tornar UM com Deus.

Na medida em que eu ajudo os demais e faço parte da solução desse abençoado Planeta, na medida em que eu coloco significados e propósitos elevados na minha vida, na medida que eu entendo que quanto mais sucesso e bem-estar eu levo as pessoas, mais do mesmo eu atraio para a minha, eu vou me curando e me tornando UM com Deus. Independente de religião!

Quanto mais eu me torno tirano, narcisista, egoísta, prepotente e ganancioso…

Quando mais eu escravizo os mais simples, humildes e claramente necessitados…

Quanto mais eu espalho maledicências, despejo minhas frustrações nos outros e acuso eles de serem isso ou aquilo, sem atentar a trave que tem no meu olho…

Quanto mais eu me aproveito da inocência e da necessidade alheia, mais eu provo o meu caráter desajustado com as leis divinas.

Quanto mais eu me envaideço com o dinheiro que tenho, quanto mais eu me sinto poderoso por conta dele, quanto mais eu rebaixo aqueles que não conseguiram conquistar a materialidade que possuo, mais me distancio da fonte divina.

Entenda que o dinheiro deve ser uma energia diretamente conectada com a gratidão e equilibrada com a energia de troca, de justiça e de retidão.

Quando alguém faz um serviço para mim, é fiel, amigo, e correto, e eu reclamo pois não quero remunerá-lo honestamente, pago a ele um valor a baixo do que ele precisa e do que ele merece, estou cada dia mais distante do AMOR superior.

Porque quando eu vivo as leis de Deus eu ofereço sempre mais do que acredito que as outras pessoas merecem, não porque sou bobo, mas porque valorizo-as verdadeiramente!

Quando eu acolho a prosperidade na minha vida eu não me sinto feliz em explorar o trabalho daqueles que não possuem outra alternativa, nem daqueles que dedicam suas vidas em trabalhos degradantes ou em funções que outros não fariam, por não ter outra escolha ou talvez falte capacidade intelectual para desenvolverem outras atividades, justamente por não terem tido oportunidades melhores na vida.

Porque cada solo é um e algumas sementes não conseguem germinar, muito menos, florescer em solo infértil. Mas outras crescem fortes mesmo sem as mínimas condições de vida, pois são fortemente unidas a natureza de Deus.

Quando eu acolho a prosperidade em minha vida assumo a responsabilidade de contribuir nas necessidades dos seus filhos, de elevar a sua autoestima para que ele, mesmo em más condições, floresça, e nesse caminhar de elevar as pessoas, estou provando que carrego no meu coração o amor que Jesus veio nos ensinar!

Injustiça X falta de oportunidade.

Quem tem dinheiro possui um oceano de oportunidades de fazer o bem ou o mal.

Quem tem dinheiro, tem liberdade, quem não tem, vive em cativeiro, e poucos conseguem fugir das cordas que o amarram e diminuem suas expectativas de vida.

Quem possui dinheiro se sente livre para ir e vir, fazer e acontecer.

Quem não o possui, se sente preso, impotente, nesse cativeiro onde foi preso injustamente, onde o amarram em pensamentos que o subjuga.

Mas os favoráveis a meritocracia vão dizer que eu sou de esquerda, que eu sou comunista… vão me xingar e esculachar, porém, o que eles não conseguem entender, é que de mil crianças que sofrem com a escassez e má qualidade de ensino, poucas conseguirão fugir dessa jaula cheia de leões preparados e fortes, que nasceram com privilégios e por tanto, correm na frente.

Aqueles que não possuem oportunidades seguem algemados a escassez, e as vendas que ainda estão tapando os seus olhos, os desanimam, e fazem com que eles aceitem migalhas muito aquém daquilo que eles verdadeiramente merecem.

Se falta para você qualquer coisa é porque alguém se apropriou da sua parte, é porque esse alguém lutou e teve mérito ao conquistar, ou simplesmente recebeu essa quantia de herança ou de forma ilícita, e quanto mais dinheiro ele acumula, mais poder ele tem, e quanto mais poder ele tem, mais ele quer, e infelizmente, menos ele compartilha.

Muitas figuras públicas, artistas, atores, atrizes, bilionários do mundo todo e empresários, de quando em vez, aparecem fazendo o bem, doando parte de seus rendimentos para ações humanitárias, e seguem em um propósito de vida alinhado as energias de Deus.

Eles já entenderam o propósito da vida!

Esses, felizmente, já sabem as respostas das questões que a vida lhes impõe. E na hora da prova, receberão notas altíssimas! Lá do alto!

Esses já conhecem a lição que Deus quis ensinar quando concedeu a eles a benção da abundância! Já decoraram a cartilha das lições de Deus e agora se empenham em compartilhar com o mundo.

Esses já sabem que nenhuma alma rica em materialidade será verdadeiramente rica em bondade aos olhos de Deus, se não aprenderem a compartilhar todas as bençãos que foram concedidas a eles, com aqueles que ainda sofrem a falta e a privação de coisas básicas, como alimentação e moradia.

Esses já entenderam que Deus limpa todas as dores e todo o sofrimento da alma dos homens quando eles aprendem a dividir tudo aquilo que possuem… porque daqui nada se leva.

Esses já assimilaram a mensagem subliminar que a vida insiste em enviar, mas que muitos, insistem em negar: que o que importa mesmo para Deus é o caráter que assumimos e desenvolvemos nessa vida, e principalmente, o amor que temos a oferecer ao mundo!

Fácil é dizer que quem não tem dinheiro é preguiçoso e vagabundo!

Difícil é ter o coração nobre para se colocar no lugar do outro, sendo ele, com as dificuldades dele, e não sendo você, com as suas habilidades e conhecimentos.

Ame mais, compartilhe o que você tem, seja dinheiro ou conhecimento!

Eleve a autoestima daquele que precisa!

Contribua para o bem e não usufrua de todas as bençãos concedidas a você sozinho.

Lembre-se da história de Jó que perdeu tudo mas nunca perdeu a fé em Deus e nem acreditou naqueles que diziam que Deus o estava castigando.

… O dinheiro não é um prêmio de vitória e merecimento concedido por Deus como a sociedade materialista nos fez pensar, ele faz parte de um teste de fidelidade e amor a Deus, e do mesmo jeito que foi concedido pode ser tirado, de uma hora para outra.

Quando Deus te coloca a prova concedendo a você muito dinheiro, Ele espera que você o utilize para o bem da humanidade, não apenas para si e para os seus.

Ele está testando o seu coração, a sua bondade em compartilhar, e a sua capacidade em viver com empatia e compaixão! Porém, muitos abastados… estão reprovando nesse teste!

Cultive a bondade, a caridade, a empatia e a compaixão em seu coração!

E se ilumine com a graça do amor divino!

“Caminhe em direção daqueles que necessitam de ajuda, e siga elevando a autoestima de pessoas que não teriam nenhuma oportunidade na vida”. Iara Fonseca

Gostou do texto? Conheça mais a escritora e visite sua fanpage: Iara Fonseca

CRÉDITO FOTO: Em memória do ator e diretor Bill Praxton – generoso e bondoso, representa aqui todos os homens e mulheres de boa vontade, que dão valor às pessoas e não ao poder e ao dinheiro! Que dedicam e dedicaram suas vidas fazendo o BEM, e nunca fizeram mal a ninguém! – ANRIGO / EPA / REX / SHUTTERSTOCK.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, palestrante, produtora e editora de conteúdo do Resiliência Humana e do Seu Amigo Guru. Seu interior é intenso, sempre foi! Transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhores, para nós, e para o outro!