Deus envia mensagens para nos guiar! Aprenda a escutar!

Escutar Deus é muito mais do que seguir ou não uma religião, é entrar dentro de si! E a meditação nos leva para esse lugar de quietude onde Deus se comunica, envia mensagens, ideias, insights, e infinitas vezes, tantas quantas conseguirmos fluir com Ele, nos prepara momentos mágicos, que são frutos, dessas sincronias divinas!

A meditação nos ensina a escutar esse poder interior que revela a nossa essência divina!

Ela nos condiciona a “frear” o tagarelar da mente! Nos convida, a amar a nossa própria companhia, e a agir com esse amor em nossa vida!

Por isso, existem tantas vidas transformadas com a meditação pelo mundo a fora!

Todas, se encontraram com essa fonte infinita de energia vital, e bebem dela abundantemente!

Essa fonte, onde a meditação nos leva, nos umedece a alma com amor, compaixão e uma profunda paz interior!

A prática diária, e ininterrupta, por 40 minutos é o ideal para que o padrão cerebral se transforme, mas 20 minutos já produz incríveis resultados.

A respiração consciente é o segredo do despertar da mente para uma consciência maior, para estas faculdades internas que são os nossos superpoderes!

Quando falamos em “superpoderes”, soa meio mágico, meio que irreal, mas não é.

É totalmente possível despertar para essas qualidades interiores.

Elas revelam e estão atreladas aos nossos dons e talentos, que devem ser empregados em nossa missão de vida!

São esses dons, que todos temos, mas que muitos desconhecem, que nos motivam a almejar conquistar um grande propósito em nossas vidas!

O propósito de vida de cada um é diferente, e ao mesmo tempo correspondente! O meu propósito, caso já tenha certo qual é, servirá de inspiração, ou até mesmo, de motivação e colaboração para o propósito de outras pessoas que cruzarem o meu caminho.

Está tudo interconectado, porque nós, seres humanos, somos seres de conexão.

Todos nós, essencialmente, precisamos nos conectar com outras pessoas, fatos, e lugares para nos sentirmos pertencentes e plenos em todos os momentos de nossa vida.

Mas infelizmente, para muitos, são justamente essas conexões que trazem os maiores sofrimentos.

Isso acontece porque o instinto humano nos leva a buscar sempre a segurança como um escudo de proteção e sobrevivência, e acreditamos que devemos nos guiar pelo que já é conhecido, assim, constantemente recorremos aos nossos arquivos internos, que chamamos de memórias.

As nossas memórias invadem os nossos pensamentos, mechem com as nossas emoções, e nos mostram como poderemos nos sentir em determinadas situações da vida. De forma hipotética, nos leva a crer que devemos recorrer a elas para que não venhamos a repetir conexões que nos feriram no passado.

Sempre que recorremos a memória, a força que empregamos nos conecta com a frequência da dor que já sentimos, e essa sintonia entende que ainda não aprendemos a lição, pois ficamos apegados a ela.

Duas atitudes são essenciais para o verdadeiro aprendizado: o desapego, (no sentido de não reter nada para si e compartilhar) e a confiança ( que refere-se a convicção de que tudo o que acontece é o melhor que poderia acontecer para o nosso crescimento e evolução).

É preciso que esse “desapego” esteja em consonância com a confiança, em si mesmo, e no que se está transmitindo.

Essa confiança desapegada e com total convicção de que o melhor sempre acontece, é adquirida com a prática da meditação diária.

Ela nos leva para um lugar dentro de nós que não conhecíamos, mas é bom ressaltar que a meditação não é religião, é se apropriar da inteligência espiritual que nos desperta para o que realmente importa e revela Deus em nós!

Desapegue da necessidade de entender tudo, de controlar tudo, de querer tudo do seu jeito!

Mergulhe nesse estado meditativo onde a sua vida está entregue ao fluir da própria vida.

Onde não existe controle, apenas confiança e desapego.

Onde as adversidades e problemas se transformam em desafios, ou seja, em oportunidades de crescimento, com respeito e entendimento ao universo do outro e ao nosso próprio universo.

Aprenda como você funciona, e pare de tentar desvendar como os outros funcionam. Cesse os seus julgamentos e criticas.

Não permita que o desarranjo interno do outro seja o seu descarrilhamento.

Chegue mais perto de você, e se afaste um pouco, só um pouco, do problema, e considere que talvez, apenas talvez, você possa estar superdimensionando a sua própria realidade.

Primeiro reconheça os seus limites, as suas imperfeições, as suas falhas morais. Reconheça!

Pare de olhar para fora e apontar o erro alheio!

Há muito dentro de você que precisa ser curado agora!

Pare de se justificar e ficar sempre na defensiva querendo que todos sintam pena de você, como se você sempre fosse a(o) pobre injustiçada(o), a moça(o) perfeita(o) que não sabe porque a vida é tão injusta com você.

Sua vida está passando enquanto você vive se lamentando por aí. Enquanto você ainda credita que é o centro do mundo e que tudo que as pessoas fazem é para te ferir.

As pessoas fazem o que fazem porque querem e precisam, e mesmo que elas não tenham razão em fazer o que fazem (na sua concepção), sempre há um motivo, e o motivo sempre revela uma carência, uma necessidade não atendida, que foi negligenciada, e com o passar do tempo, se transformou em um trauma, que se volta feito um gatilho todas as vezes que forem necessárias.

Cada pessoa é um universo particular. Não baseie os outros através do seu universo, pois talvez, veja bem, eu disse talvez, nem mesmo você se conheça verdadeiramente.

Fuja das verdades absolutas e das certezas impositivas.

Escute mais, fale menos!

O que você entende por Deus é real? O que você sente? Parece que o conceito de Deus foi imposto a você por outras pessoas? Ou é você quem impõe os seus conceitos aos outros?

Aceite se conectar ao universo do outro, não porque você é submissa(o), mas porque você se importa, porque você sabe que Deus também está nele, porque você o respeita, e o ama.

Pare de se meter onde não é chamada(o), se comprometa com a sua própria vida, e se autorresponsabilize por tudo o que te acontecer. Pare de culpar os outros.

A autorresponsabilidade é o único caminho para o autoconhecimento. E o autoconhecimento tem começo, tem meio, mas não tem fim. Se engana quem diz que busca o autoconhecimento, mas está a todo momento culpando os outros por tudo.

Quando você diz: “Como ele pôde fazer isso comigo,”, “Eu não fiz nada, ela fez drama e está fazendo uma tempestade em como d’água”, “Ele é uma pessoa tóxica, ele não me merece! Eu mereço coisa muito melhor porque eu sou uma pessoa boa”, ou outro tipo de julgamento que você possa vir a proferir, você está dizendo: “Eu sou obcecada por mim, mas não consigo enxergar as minhas necessidades, e muito menos, consigo enxergar as necessidades deles e por isso, culpo os outros e exijo que eles realizem as minhas vontades.

Não dá para aprender nada quando estamos obcecados por nós mesmos. Simplesmente não dá!

É preciso desapego e confiança, lembra?

Sem essas duas forças interiores, você pode tentar se mostrar confiante, desapegada(o), fazer mil e uma demonstrações disso, que ninguém vai acreditar em você. Sempre soará falso, e a sua energia irá repelir aqueles que realmente já estão nesse lugar de confiança e desapego, e o que te restará senão aqueles que também comungam desse mesmo lugar onde você habita hoje?

Sim, as conexões que você faz, são frutos dos lugares onde você está, dentro de si.

Se o lugar que você consegue acessar dentro de você é obscuro, mas você tenta disfarçar, é como se tentássemos impar um vidro de um carro que esteve em uma fazenda, com um papel, a gente só espalha a sujeira para todo canto.

Pare de espalhar a sua sujeira por aí. Purifique-se!

Purifique-se!

Purifique-se!

Purifique-se!

Medite todos os dias, crie os seus momentos de recolhimento, olhe para dentro, viva o presente, e se abra para as inspirações divinas.

Deus quer te guiar para o seu propósito de vida, mas você precisa aprender a escutar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, palestrante, produtora e editora de conteúdo do Resiliência Humana e do Seu Amigo Guru. Seu interior é intenso, sempre foi! Transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhores, para nós, e para o outro!