Deus deseja que você construa a sua família. Mas pode ser que antes Ele queira te ensinar como cuidar dela. E para isso, Ele vai usar o tempo para lapidar o que há de melhor em você.

A gente precisa parar de pensar que Deus não se importa com as questões do coração. Deus sabe dos seus sonhos, das suas necessidades e que você tem o desejo de construir a sua família.

Ele ouve e se importa com isso. Mas, Deus em sua infinita sabedoria conhece os desafios de uma vida a dois. Então, Ele deseja te lapidar antes de você entrar em um relacionamento.

Você pode até se julgar pronto para isso, mas Deus conhece todas as coisas e Ele sabe exatamente quando agir.

Então, não se desespere.

Não ache que Ele não está te ouvindo.

Pare de olhar ao seu redor e achar que todo mundo namora, casa e constrói sua família e que esse não é o plano de Deus para você.

Se esse desejo brotou em seu coração Deus é poderoso para realizar.

Você entenderá que algumas coisas não aconteceram -ainda- não porque Deus não está nos ouvindo, mas sim porque Ele está nos lapidando.

Não adianta nada Ele nos dar uma bênção se a gente não souber cuidar.

Você não vai encontrar alguém perfeito.

Muitos relacionamentos não dão certo pela cobrança excessiva. Queremos encaixar o outro naquilo que sempre idealizamos. Queremos que o outro seja uma cópia exata dos nossos anseios e desejos, e aí tapamos os olhos para ver o outro, para ver o diferente, o que não se encaixa nos nossos padrões.

Você não vai encontrar alguém perfeito, e se você desistir de seu relacionamento por causa das diferenças, é bem provável que ao se relacionar de novo você encontrará novos problemas.

O segredo de um relacionamento feliz é não exigir que o outro mude, é aceitar as diferenças e aprender a lidar com isso.

Qual o problema se você gosta de capuccino gelado e ele quente? Se você gosta de ver um filme de romance e ele de comédia policial?

Qual o problema se ele não é daqueles caras que falam eu te amo todo dia? Ou que mandam flores para você no seu trabalho?

E se o modo dele te amar é passando a maior parte do tempo dele com você?

Se a forma dele demonstrar que te ama é pagar a entrada do cinema daquele filme que você quer tanto assistir, mesmo ele não estando tão afim assim de assistir?

Ou se o modo dele te amar é pedir para o garçom um suco de laranja antes mesmo de te perguntar porque ele já sabe que é o seu preferido?

E dai que ele gosta de jogar vídeo game de domingo? Ou jogar futebol com ao amigos? E se as vezes é meio esquecido?

Ou a maneira dele te amar é preparar um jantar a dois em casa mesmo, sair com você num sábado a noite para tomar um sorvete, perguntar pros amigos se pode levar a namorada no churrasco da faculdade?

Ou se a maneira dele te amar é pensando em você o dia todo no trabalho e falar de você para todo mundo.

E dai que ele não posta fotos com legendas bonitinhas e não manda aqueles textos enormes no Facebook para todo mundo ver?

Que ele não comenta em todas as suas fotos e é desligado com redes sociais?

E se maneira dele te amar é dizendo o quanto você está linda quando acorda com o seu pijama velho e o cabelo desarrumado?

E se a maneira dele te amar é deixando um bilhetinho com poucas palavras, dando um beijo na sua testa na frente dos amigos?

Às vezes sufocamos um relacionamento com tantas cobranças, deixamos de valorizar o modo como o outro nos ama, queremos que alguém nos ame exatamente como amamos.

Esquecemos que o amor não é uma teoria singular, não tem uma definição única.

Amor é algo particular sem ser perfeito, cada um ama de um jeito e exterioriza o que sente de forma diferente.

Precisamos aprender a linguagem do amor do outro, entender que ele nos ama da sua maneira. E quando a gente entende isso, o amor se torna mais leve, se torna mais bonito porque descobrimos o novo, e então às vezes assim sem querer melhoramos muita coisa em prol do outro não porque ele nós pede incessantemente, mas porque queremos.

O amor é um aprendizado constante, é uma escolha diária, o amor é simplicidade.

Relacionamento baseado em cobranças acaba se desgastando e o amor perde sua finalidade.

Precisamos saber reconhecer o novo – e temos dificuldade de aceitar isso – valorizar a pessoa com quem nos relacionamos, saber lidar com as diferenças.

Precisamos de maturidade para entender que o amor não é perfeito.

Não é o amor que sustenta um relacionamento, é o modo de se relacionar que sustenta o amor.

*Foto de Jordan Sanchez em Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Thamilly Rozendo
Estudante de psicologia, apaixonada por artes, música e poesia. Não dispensa um sorvete e adora um pastel de feira com muito requeijão, mesmo sendo intolerante a lactose. Tem pavor de borboletas, principalmente as no estômago.