Não te desejo um ano maravilhoso em que tudo seja bom. Esse é um pensamento mágico, infantil e utópico.

Por Mirta Médici

Desejo que você se encoraje a olhar para si mesmo e a se amar como é. Que você tenha bastante amor próprio para lutar em muitas batalhas, e a humildade de saber que existem batalhas impossíveis de vencer pelas quais não vale a pena lutar.

Eu desejo que você possa aceitar que existem realidades que são imutáveis, e que existem outras, que se você fugir do lugar da reclamação, você pode mudar.

Não se permita o “eu não posso”,mas desejo que você reconheça o “eu não quero”.

Desejo que você ouça sua verdade e a diga com plena consciência de que é apenas sua verdade, não a do outro. Que você se exponha ao que você teme, porque é a única maneira de superar o medo.

Que você aprenda a tolerar os “pontos negros” do outro, porque você também tem os seus. Que você não se condene quando errar; você não é todo poderoso.

Cresça, onde e quando quiser.

Não desejo que 2020 lhe traga felicidade. Eu desejo que você seja feliz, seja qual for a realidade que você vive. Que a felicidade seja o caminho, não o objetivo”.

Inevitavelmente, fazemos um balanço… como se a nossa felicidade ou angústia dependesse do ano, da realidade que nos tocou… as coisas simplesmente “acontecem”. as pessoas ficam doentes, as relações acabam, as pessoas se Apaixonam, as pessoas têm acidentes, os negócios dão Lucros ou perdas, as pessoas morrem, nascem bebes, os objetos são comprados, se perdem ou se quebram, se ganham amigos, se perdem afetos….

Às vezes é a nossa responsabilidade, a Vezes é culpa dos outros, às vezes é o destino, Deus ou a sorte… em 1500 e em 2019… as coisas “acontecem”. assim é a realidade.

Às vezes, justa; outras, não. É a realidade, e é preciso aceitá-la.

De nada adianta ficar zangado com o que acontece, ou ficar na reclamação e no lamento, clamando que deveria ter acontecido de forma diferente.

Não estou dizendo que deve gostar ou aplaudir, nem que te resignes ou te conformes.

Eu digo para aceitar a realidade.

Aceitar significa perceber que algo é como é, e parar de lutar com “isso” Porque é assim. E a partir daí, posso decidir, posso escolher como “me parar”, até onde vou permitir que me afete, que valor vou lhe dar, se seguir e como sigo.

Aceitar, mesmo que você não concorda, que algo é como é, é a chave que abre a primeira porta para que a sua felicidade, esteja apenas em suas mãos.

Independentemente “das coisas que acontecerem”, pode-se ser feliz na tristeza, pode-se estar em paz, no meio do caos.

Só se trata de ser dono de si mesmo.

Mirta Médici, psicóloga Argentina.
Foto: Janet Stone/Yoga

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!