Cristiana Oliveira vai ao supermercado e diz: “Vim fazer a compra do mês e quase tive um infarto”.

A inflação está alta, todos sabem, e isso não está acontecendo só no Brasil, muitos países bateram o recorde de alta de preços, e Brasil é o 3º do ranking, de acordo com dados do FMI.

O conflito na Ucrânia e lockdowns na China, além de fatores locais, têm pressionado a política monetária de várias nações, e no Brasil não é diferente.

A sensação da dona de casa é que, estão roubando o seu café da manhã, o seu almoço, o seu lanche da tarde então, já ne existe, e o jantar está sendo privado a muitas familias. A dificuldade, claramente, está maior para as famílias de baixa renda. O que se compra antes com 100 reais, hoje, não dá para comprar nem a metade. A gente sai do supermercado com duas sacolinhas e o sentimento é de desespero.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostraram que a inflação acumulou nos últimos 12 meses alta de 11,30%, o valor mais elevado desde 2003. A taxa subiu 1,62% em março, o maior aumento em um mês desde 1994, quando o Plano Real ainda não tinha sido implementado. Para conter o avanço dos preços, analistas preveem aumento dos juros.

Os transportes subiram 3,02%, alimentos e bebidas, 2,42%. O grande vilão foi o combustível que teve alta de 6,70%, puxada principalmente pela gasolina (6,95%).

Segundo divulgou o R7, no país, o aumento dos preços foi impulsionado pelo conflito na Ucrânia, que impactou os combustíveis. Com a guerra o valor do barril de petróleo ficou mais volátil, uma vez que a Rússia é um grande produtor da commodity. Como a maioria do transporte de cargas é feito pelo meio rodoviário, toda a cadeia produtiva foi impactada. Contudo, os preços já vinham subindo desde o ano passado.

Entre os motivos estão a energia mais cara por causa da bandeira de escassez que ficou em vigor até o dia 16 de abril deste ano e problemas na exportação, safras e plantações de produtos importados que enfrentaram excesso de chuva e secas.

Inflação segue dobrando a meta e prévia é a maior para abril em 27 anos

Para o Uol, um grupo de economistas relatou que entre as medidas que o governo poderia ter adotado, estão a utilização de estoques reguladores de alimentos, um fundo do petróleo para o setor de combustíveis, e maior atuação no mercado de câmbio. Já outro grupo discorda dessas medidas porque seriam tentativas de manipular preços de mercado de forma artificial, com efeito pouco duradouro.

Ir ao supermercado está sendo um desafio para todas as famílias. Não é nada agradável se deparar com os preços dobrando nas gondolas. O supermercado está repassando aos consumidores as altas nos preços e as pessoas estão sem saída.

Essa semana, a atriz que interpretou a Juma, na primeira versão de Pantanal, Cristiana Oliveira, fez um desabafo em seu instagram, e disse que ao fazer a compra do mês quae teve um infarto. assista:

O fato é que do jeito que está não pode continuar. Se a atriz Cristiana Oliveira quase teve um infarto, imagina como estão se sentindo as famílias de baixa renda!

*DA REDAÇÃO SAG. Texto de Iara Fonseca, jornalista, escritora, editora de conteúdo dos portais Resiliência Humana, Seu Amigo Guru, Homem na Prática e Taróloga. Para agendar uma SESSÃO DE AUTOEXPANSÃO com a Iara, mande um direct para @ESCRITORAIARAFONSECA

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!