Ele tem apenas 13 anos e estava em coma, com morte cerebral diagnosticada. Um dia antes de ter seus aparelhos desligados, ele voltou a vida e a sua primeira fala foi: Foi Deus que fez um milagre!

O drama de Trevor McKinley, um adolescente cheio de vida, começou após um acidente de carro no Alabama. Ele sofreu várias fraturas no crânio e foi levado ao hospital já em coma. Os médicos anunciaram que Trevor tinha sofrido um traumatismo craniano extremamente grave e que mesmo que acordasse do coma, nunca mais voltaria a ser um garoto normal. Deram certeza a família que ele viveria acamado e com muitas sequelas.

Alguns dias depois, os médicos entraram em contato com a família para que eles pudessem assinar a autorização para doação dos órgãos, a família assinou e entendeu que não tinha mais nada a ser feito.

No dia seguinte, após uma noite difícil, a família voltou ao hospital para autorizar o desligamento dos aparelhos que mantinham Trevor vivo, mas algo impressionante aconteceu.

O cérebro do menino começou a dar sinais, a responder e dar sinais de que estava recobrando a consciência, pouco tempo depois ele acordou, lúcido e sem nenhuma sequela aparente.

O caso foi comentado de forma impressionante na imprensa americana e quando perguntado o que aconteceu pela Fox New 10, o menino contou: ” Eu bati a cabeça no concreto e depois um pequeno trailer caiu em cima de mim, depois disso não me lembro de nada. Só me lembro que enquanto dormia, eu caminhava em um campo aberto”.

Para ele não existe outra explicação para o que aconteceu com ele. “Os médicos também acreditam que foi um milagre, não conseguem explicar de outra forma”.

A mãe do garoto, muito emocionada, acredita que Deus o estava segurando em seus braços. “Deus é bom, ele me concedeu um verdadeiro milagre”, contou agradecida.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!