Quando seres humanos emitem vibrações negativas de ódio, vingança, inveja e demais vibrações do gênero originadas de pensamentos, palavras e atos de igual teor, essas vibrações se concentram no espaço etérico mais denso que é como um imenso depósito energético vibracional que se interpenetra com nosso mundo físico, criando correntes negativas.

As correntes negativas são forças vibracionais densas de baixo padrão que envolvem a atmosfera vibracional de nosso planeta, essas correntes são utilizadas por determinados tipos de espíritos sofredores(desencarnados) que as manipulam a partir do padrão vibracional oriundo de sentimentos e emoções negativas dos seres humanos encarnados(os vivos).

Desta forma, todos aqueles que estiverem vibrando em frequência compatível com estas forças, são potencialmente candidatos a receber as descargas vibracionais deste submundo invisível e que podem causar imensos danos á estrutura espiritual, psíquica, mental, emocional e física daqueles que as recebem.

Acidentes, desajustes comunitários, familiares, confusão mental, prejuízos materiais, destruição, violências de todos os tipos, crimes bárbaros, muitos casos até mesmo seguidos inclusive de amnésia parcial ou mesmo total dos atos cometidos, como se vê em diversos casos em que o criminoso não se lembra da motivação do crime e muitas vezes nem mesmo de tê-lo cometido.

Bem, amados, é certo afirmar que essas forças dominam os seres humanos que se deixam contaminar por elas de tal forma que é tão difícil resgatá-los dessas garras quanto recuperar e reabilitar dependentes químicos ou alcoólicos.

Desta forma, então, aqui está a pergunta que vocês farão:

Mas se essas forças são assim tão danosas e poderosas, como resistir a elas, como podemos combatê-las?

Certo, a resposta está em defendermo-nos pela via da incompatibilidade vibracional ou seja, quando formos provocados, atacados, instigados por nossos irmãos já dominados por essas forças negativas e que servem de instrumentos aos seus objetivos, devemos nos posicionar reagindo positivamente, ativando as forças contrárias, ou seja, para o ódio usamos o amor incondicional, para a ofensa, o perdão, para a tristeza a alegria, para escuridão usamos a luz.

É esta a fórmula mágica para nos defendermos de tais forças e mantermos nossa integridade para cumprirmos com nossas missões conforme cada um de nós deve cumprir nesta vida.

Não se combate ódio com ódio, o fogo se combate com água, se utilizarmos o mesmo elemento teremos amplitude, expansão do elemento a que nos propomos a combater.

Amados como reflexão vos ofereço e indico a oração de São Francisco de Assis como um excelente remédio, comprovadamente eficiente para esse mal da humanidade considerado de difícil tratamento e cura.

Senhor, fazei-me instrumento da vossa paz
Onde houver ódio, que eu leve o amor
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão
Onde houver discórdia, que eu leve a união
Onde houver dúvida, que eu leve a fé
Onde houver erro, que eu leve a verdade
Onde houver desespero, que eu leve a esperança
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó mestre, fazei que eu procure mais consolar do que ser consolado
Compreender do que ser compreendido
Amar que ser amado
Pois, é dando que se recebe
É perdoando que se é perdoado;
E morrendo que se vive
Para a vida eterna

Sejam felizes, defendam-se, protejam-se, iluminando a escuridão e transformando suas vidas…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




João Luiz Spósito
João Luiz Spósito, nascido em Niterói RJ e radicado em Brasília. Desde 2007 desenvolve atividades na diretoria do Espaço Terapêutico Portal Via Luz em Brasília.Terapeuta Reikiano. Médium espiritualista cristão especializado em cura desobsessiva desde 1998. Trabalha com aconselhamento em casos terapêuticos mais delicados, onde a origem espiritual se faz mais presente. Conhecimentos em radiestesia, homeopatia e terapias energéticas variadas atuando nos corpos sutis: emocional, mental e espiritual. Escritor e palestrante .