Como se libertar de um parente controlador?

Se você sente que tem um parente que tenta controlar tudo o que você diz e faz e, aos poucos, você sente que está perdendo toda a sua energia e vitalidade, assim como o contato com a sua verdade, este artigo é para você.

Libertar-se de um parente controlador pode significar a diferença entre manter ou não a sua integridade psíquica.

Entre os comportamentos de violência mais perturbadores está o controle exercido por um membro da família, seja ele o cônjuge, a mãe, o pai, a sogra ou quem quer que se coloque a frente da sua vontade. No entanto, esse comportamento destrutivo geralmente não se estabelece do nada, para cada parente controlador, existe uma pessoa que se deixa controlar.

O controle tem sido associado ao amor, atenção ou preocupação e com a nossa segurança pessoal. Infelizmente, esta associação causou estragos na vida de muitas pessoas.

Uma pessoa controladora é reforçada por um relacionamento dependente. E isso pode ser perigoso. Neste artigo, vamos explicar quais são suas características e como você pode se livrar dele.

O que é controle?

Existem grandes diferenças entre pessoas com características associadas ao controle. Muitos iniciam comportamentos controladores precisamente em resposta a uma personalidade muito pouco dependente.

O controle de um parente pode não ter limites. Por outro lado, vemos isso em pessoas de todas as idades, gênero, orientação sexual ou status socioeconômico.

Pessoas controladoras usam um grande arsenal de ferramentas para dominar os outros, quer eles percebam ou não. Às vezes, a manipulação emocional é complexa o suficiente para que a pessoa que está sendo controlada realmente sinta que é a vilã ou que tem muita sorte de que seu parente “aguente” ela.

“Se você está se questionando e mudando seu comportamento, o que significa que você internalizou o comportamento abusivo sutilmente para que seu parceiro não o expresse abertamente” Steven Stosny-

Críticas constantes e invalidantes

A crítica, como o isolamento, também é algo que começa quase imperceptivelmente. Não importa quão pequenos eles possam parecer se fizerem parte de uma dinâmica contínua em um relacionamento. Torna-se muito difícil sentir-se aceito, amado ou valorizado se toda iniciativa for submetida ao olhar crítico do outro.

Dívida emocional

Pessoas controladoras podem gerar uma dívida no outro. Sua atenção e cuidado destinam-se a formar uma base de enredo que lhes permita acreditar que têm o direito, e manifestá-lo dessa forma, de direcionar o comportamento do outro só porque o ajudou em algum momento da vida.

É uma estratégia distorcida; no entanto, geralmente é mais comum do que pensamos.

Eles ficam com raiva quando são ignorados

Eles tentam ser protagonistas dos holofotes o tempo todo. É uma forma simples de controle. A pessoa se sente insegura e pensa que, se o outro olhar para ela o tempo todo, não olhará para outros lugares ou pessoas.

Esse tipo de estratégia de controle geralmente ocorre quando há um grande medo ou insegurança a respeito dela mesma.

Comentários humilhantes

Comentários degradantes, que podem ser menos óbvios no início, não são ataques para serem tomados de ânimo leve. Em vez disso, eles visam especificamente os pontos fracos da pessoa e ameaçam seriamente o relacionamento dessa pessoa, com outras que ela tem muito apreço.

Passos para se libertar de um parente controlador

Perda da autoestima, frustração, tristeza são os principais marcadores dos efeitos de um relacionamento com um parente controlador. Quando a situação é mais grave, muitas vezes, observamos um retraimento em si mesmo que se caracteriza pelo distanciamento de sua essência. A pessoa se sente perdida e não sabe mais o que fazer da vida.

É aqui que termina a última etapa do processo e onde a vítima deve tomar a decisão que é essencial e que a salvará. Um ato que, muitas vezes, ela só pode fazer quando acompanhada.

O caminho para a recuperação pode ser longo e difícil. O primeiro passo é proteger sua própria segurança.

1. Verifique sua segurança

Em alguns casos, romper com um parente controlador pode ser difícil. Ou porque há muitos laços de dependência e não é possível deixar de ver o outro ou porque aquela pessoa controladora se esforça para continuar mantendo esse controle, te fazendo, de alguma forma, dependente, ou financeiramente, ou eocionalmente, mesmo sabendo que você já percebeu as intenções dela.

Nos casos mais extremos, você pode pedir uma ordem de restrição ou apresentar uma queixa de assédio moral em juízo. De qualquer forma, o essencial neste momento é se proteger. Mesmo que você não esteja pronto para fazer isso, é importante ter um plano de segurança.

Caso não queira entrar em uma disputa judicial, é fato que você precisa agir em direção a sua independência e buscar apoio em outras pessoas para sair dessa situação onde você se encontra incurralada.

2. Busque uma rede de apoio

Dê o primeiro passo e tente reconstruir a sua vida se vinculando a novas pessoas, ou a pessoas em quem realmente confia, essa rede de apoio vai te ajudar a se libertar dessa pessoa que controla a sua vida.

3. Peça ajuda

As pessoas que se movem quando sentem que precisamos delas podem fazer a diferença entre a queda ou a evolução pessoal. Pedir ajuda é essencial. Mas lembre-se de pedir ajuda para as pessoas certas, caso contrário, você criará dívidas com outras pessoas controladoras.

4. Continue, apesar dos sentimentos contraditórios

Quando você deixa um parente que você não ama e até teme, um sentimento de felicidade e tranquilidade o domina. No entanto, sempre envolverá situações dolorosas. Pessoas do meio ambiente que não viveram sua realidade, ousarão comentar suas atitudes e decisões, muitos vão te julgar, e aquele parente poderá proferir mentiras e malediscencias a seu respeito. Esteja preparada e não se deixe abater.

Talvez muitos amigos se “posicionem” e fiquem ao seu lado. Além disso, só porque você não quer conviver com um parente controlador, não significa que você não quer ter intimidade com pessoas que te amem de verdade, só quer dizer que você não quer mais viver sobre o controle de ninguém.

Prefira passar por uma dificuldade momentânea do que viver em um sistema de controle a ivda toda. Assim que você decicir se libertar, nunca se esqueça de que você tomou a decisão mais corajosa e madura de sua vida, pela qual você sempre deverá se orgulhar, mesmo que outras pessoas te chamem de ingrato. Você será grato pelo bem que te fizeram, só não se aceitará mais ser um escravo.

*DA REDAÇÃO SAG. Foto de Johann Walter Bantz no Unsplash.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!