Aprenda como ensinar seu filho a dar o melhor de si mesmo!

Se tem uma virtude que é necessária para qualquer ser humano levantar da cama todos os dias e encarar tantos desafios é a coragem.

Viver é estar exposto a muitos riscos – de errar, de decepcionar e até de morrer – e é através da coragem que encaramos todos eles. Isso não é diferente para as crianças.

Todos os dias elas também precisam de coragem para defender o que é certo e fazer escolhas em casa, na escola e nos relacionamentos com os amigos.

Porém, essa virtude precisa ser incentivada pelos pais e, mais do que isso, ser observada pelas crianças na vida daqueles que são referências para elas.

O clima de incentivo e encorajamento precisa estar na atmosfera da casa, nas atitudes, no olhar e nas palavras dos pais para o filho.

Quando utilizado adequadamente, o encorajamento convida a excelência e a obediência. Ele abre as portas para o otimismo e é uma abordagem positiva para a realização de tarefas e atribuições desafiadoras.

Esteja no papel certo

Em um time de futebol, os jogadores passam pela experiência do aprendizado, do treinamento, da torcida e da arbitragem.

Cada papel proporciona sua própria forma de incentivo e motivação – e cada um deles é vital para o sucesso do time. Quando for motivar seus filhos, saiba que terá mais sucesso se desempenhar o papel que funciona melhor para as dificuldades que eles estão tendo no momento. E para descobrir isso você precisa estar atento.

Seja um professor

As melhores estratégias não aumentarão a motivação de curto e longo prazo das crianças, se elas forem confusas e incertas.

Elas precisam saber o que fazer para ter sucesso e os pais podem ser os únicos a ensiná-los.

Explique e demonstre as maneiras corretas de fazer as coisas e, ao mesmo tempo, mostre o contraste dessas ações com os caminhos errados.

Por exemplo: quando alguém é cruel com você, buscar vingança é o caminho errado para lidar com essa situação.

Seja um treinador

Os treinadores dividem tarefas complexas em pequenas etapas, ensinam cada uma e fazem com que os filhos as pratiquem uma de cada vez.

Isso ajuda as crianças a começar, a permanecer na tarefa e a aprender com mais eficiência. Pense no simples pedido: “Limpe seu quarto”.

Um pai que sabe treinar orientará seu filho nas várias etapas desse processo, por exemplo: “arrume a cama, guarde as roupas no lugar, encontre um espaço para todos os brinquedos”.

À medida que seu filho cresce e se desenvolve, alguns desses processos se tornarão mais complexos, mas você terá estabelecido um precedente para treiná-los por meio de decisões e tarefas em várias etapas.

Seja um torcedor

Algumas crianças sabem o que fazer e como fazer, mas são hesitantes, inseguras, têm medo de errar e, principalmente, temem a reação de seus pais caso falhem em uma tarefa.

Então, nesses momentos, elas precisam que seus pais sejam verdadeiros líderes de torcida – e que se envolvam durante o “jogo todo”.

Os melhores torcedores sabem quando mudar seus “gritos”.

Se um time de futebol está perdendo de 3×0 no segundo tempo, seus torcedores não estão gritando: “Já ganhou!” Eles ainda estão lá, mas mudaram o tom de pura alegria e celebração para algo ainda mais forte e incentivador.

Se não fizessem isso, os jogadores e treinadores saberiam que a torcida não está prestando atenção. Os pais torcedores precisam ter esse mesmo comportamento.

Seja um árbitro

Às vezes os pais precisam dizer aos filhos quando eles estão fora dos limites.

Se os pais não fizerem isso, as crianças não saberão em quais pontos fracos trabalhar ou não perceberão quando podem estar prejudicando outras pessoas.

Quanto mais esforço os pais colocarem no ensino e treinamento, menos eles precisarão gastar na arbitragem.

Ao observar seus filhos, você pode verificar quais desses quatro papéis os encorajarão em suas circunstâncias particulares.

Você também pode descobrir que seu filho responde melhor a um papel do que a outro. Mas lembre-se: para um time vencer um jogo, o ensino, o treinamento, a torcida e a arbitragem precisarão ocorrer em algum momento.

Use o tom certo

Ao pensar nesses quatro papéis de encorajamento, considere também o tom que você usa para se comunicar com eles.

Se você estiver desencorajado ou sobrecarregado, pode estar se comunicando de maneira desmotivadora – com críticas e reclamações – sem nem perceber.

Alterar seu estilo de comunicação pode incentivar seus filhos a querer ouvi-lo. Esses três estilos de comunicação podem ajudar:

Seja otimista

Os otimistas explicam de bom grado as coisas, acreditando que as crianças aprenderão e melhorarão. Eles esperam que as coisas corram bem e acreditam no melhor de seus filhos.

Pais otimistas percebem o que está certo antes que o errado aconteça – e só apontam o negativo quando é necessário. Não entre em pânico quando seus filhos cometem erros.

Aceite que eles ainda irão errar muitas vezes, assim como você. Nunca diga frases como: “Você nunca aprende” ou “Quantas vezes eu tenho que te dizer isso?”

Seja positivo

Os pais positivos falam mais sobre o que querem do que sobre o comportamento atual que veem. Por exemplo: dizer a seus filhos “Não esqueça!”, quando eles deixam com frequência de realizar algumas tarefas, você estará lembrando eles somente do erro.

Em vez disso você pode tentar dizer: “Lembre-se!”.

Outros exemplos são “chegue na hora”, em vez de “não se atrase” e “faça silêncio porque sua irmã está dormindo”, em vez de “pare de gritar!”.

Você consegue ver a natureza positiva dessas mensagens? Uma simples troca de linguagem pode transmitir um tom encorajador.

Seja entusiasta

A indiferença pode ser um dos sentimentos mais dolorosos que as crianças recebem dos pais e de outros adultos.

E o oposto disso é o entusiasmo.

Quando seus filhos sabem que você está sinceramente interessado neles, no que eles estão fazendo e como estão, eles se sentem mais aptos a confiar em você, se importar com o que você pensa e ouvir o que você tem a dizer.

Ao procurar ser positivo e entusiasmado, você descobrirá que seus filhos ficarão mais motivados, mais propensos a pedir sua ajuda e mais dispostos a admitir quando estiverem confusos, e precisarem de ensino ou treinamento.

Ao torcer por seus filhos, procurando o melhor neles e respondendo aos seus erros com compaixão, eles terão a coragem de assumir riscos saudáveis porque confiam que você está do lado deles.

Com informações de Focus On The Family

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!