Chega uma hora que é preciso abrir mão e deixar ir tudo o que está causando tanto sofrimento!

“Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras pessoas. E outras coisas..“ — Clarice Lispector

Quando se escolhe um caminho é preciso renunciar a outros, vão existir alegrias, mas temos que “abrir mão” de muitas coisas em função dessa escolha. Seja uma profissão, um relacionamento, uma mudança de residência, etc, tem sempre os ganhos e as perdas.

Mas é preciso avaliar e reavaliar ao longo do processo se realmente está valendo a pena, porque as boas escolhas, as que são mais benéficas, apesar das dificuldades do processo, faz você feliz e mais realizado. Apesar de algumas dores, faz você olhar e ver que está valendo a pena.

As escolhas que não são tão boas dão a sensação de tempo perdido, nos enche de insatisfação, e traz infelicidade, independentemente de não haver nada de grave acontecendo, traz um sentimento de vazio, como se não estivesse fazendo sentido.

Na verdade quando se escolhe algo não é possível prever os desdobramentos da vida, não é possível prever tudo que vai acontecer, muitas coisas vão acontecer, serão totalmente inusitadas, porque a vida surpreende a cada etapa do caminho e é preciso ter coragem e energia para olhar algo que não está acrescentando nada em sua vida, não está te fazendo melhor, pelo contrário, às vezes, está te fazendo muito mal.

É necessário entender e aceitar isso para conseguir tomar uma decisão de mudar de rumo e optar por um novo caminho, seguir outros rumos.

Chega um momento que é preciso abrir mão, deixar ir tudo o que está de causando tantos danos e mais sofrimento, algo que está retirando suas energias, te sugando e fazendo até você duvidar de seus talentos, dos seus potencias, de você. E chegar a este ponto é o limite para dar o ponto final no que está te consumindo.

Não é fácil recomeçar, não é fácil seguir e não olhar para trás mas, às vezes, esta é a única forma de conseguir viver de verdade aquilo que realmente acredita.

Equívocos acontecem, fazemos escolhas que nem sempre correspondem ao que é o melhor, mas como você conseguiria prever no inicio do caminho como seria todo o processo de sua escolha?!

É impossível, no início de qualquer escolha a pessoa está com o coração aberto, com sonhos e boas perspectivas, entendendo que tudo vai dar certo, que aquilo é o melhor.

O importante é identificar quando se deve parar de insistir e não deixar que esta situação venha engolir seus sonhos e fazer você abrir mão do que é mais precioso para você por causa do medo de se colocar naquilo que realmente acredita.

Aprenda a abrir mão do que não combina mais com você, busque o que vale a pena viver, e deixar ir embora o que há muito tempo já te limitava, te impedia de se expandir e crescer, te sufocava, ao invés de ser bom.

Talvez você ainda não enxergue, mas tem muito menos coisas a perder do que a ganhar. Acredite na força imensa que existe dentro de você e se apoie o quanto precisar, mas não deixe que sua luz, sua essência se apague por nada nesta vida.

A sua vida é construção, é amor, é dedicação. Se você foi o melhor que podia e não fluiu da melhor forma para você, existem muitos outros caminhos para investir.

Só não vale desistir de ser feliz, de se realizar, e de fazer e ser o que realmente acredita. Só não vale ficar questionando seu valor, sua competência, seus talentos, seu amor próprio, por causa de nenhum escolha equivocada nesta vida, em nenhum setor.

Reconstruir é trabalhoso, mas viver uma vida de enganos dá muito mais trabalho.

Além de trazer mais dores e aniquilar sua força e seu vigor para enfrentar o dia a dia, uma vida de enganos te faz parar de produzir, mina a sua motivação e te faz se perder do seu propósito e duvidar do sentido da vida.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Patricia Tavares
Sou Psicóloga e Reikiana nível 2, trabalho há 19 anos em consultório com psicoterapia, hipnose clínica. Já trabalhei em hospital, núcleo de violência da mulher. Acredito na vida, no amor, nos bons sentimentos, no perdão, na beleza da alma, na superação, no ressignificar, na humanidade. Adoro escrever e falar sobre sentimentos, superações, motivar pessoas, conseguir promover o melhor, despertar o que possa ser maravilhoso em cada um de nós e libertar pessoas de suas prisões emocionais, com uma nova e especial forma de viver, independente dos acontecimentos da vida.