Cachorrinha amamenta criança de 2 anos que foi abandonada pela mãe. O mais chocante foi quando os oficiais chegaram ao local e descobriram que a mãe da criança morava por perto.

Esse caso aconteceu na cidade de Arica, no norte do Chile. Durante a madrugada, uma mulher encontrou um bebê abandonado no estacionamento de uma oficina mecânica, nas redondezas de sua casa. A criança tinha dois anos de idade e estava descaça, suja e desnutrida.

A mulher logo ligou para a polícia para alertar sobre o ocorrido, mas o mais chocante foi quando os oficiais chegaram ao local e descobriram que a mãe da criança morava por perto.

A investigação continuou e os policiais descobriram que a mulher estava constantemente bêbada e a responsável pela sobrevivência do pequeno era uma cadelinha chamada Rainha, que o amamentava.

Os vizinhos da oficina contaram que a mãe se mudou sozinha com o menor e viviam no local fazia aproximadamente um mês. A criança foi levada ao hospital, e apesar de toda a negligência, não tinha sinais muito severos de desnutrição, mas apresentava alguns parasitas comuns nos cães.

A polícia fez contato com o pai do menino, que trabalha em outra cidade, ele se apresentou no hospital e manifestou suas intenções de ficar com a criança.

A mãe, entretanto, será denunciada por abandono e enfrenta, não só a perda da custódia do menor, mas também o cumprimento de uma pena de até cinco anos de cadeia.

De acordo com o informado pela polícia, devido à omissão contínua de cuidados por parte da mãe e da falta de recursos para alimentar o pequeno apropriadamente, presume-se que o bebê poderia ter perdido a vida se não fosse pela ajuda da cadela Rainha, que lhe deu de mamar.

Mas, o mais curioso desse caso é que a Rainha é justamente da vizinha que encontrou a criança e responsável pela denúncia. Ela começou a notar um comportamento estranho na cachorrinha, que desaparecia durante horas de sua casa e voltava com sinais evidentes de cansaço.

A partir disso, a tutora da cachorrinha decidiu segui-la e saber onde ela se escondia todo esse tempo, até que se deu conta de que a cadela, durante as madrugadas, dava de mamar ao bebê.

Aparentemente, a mãe sofre de alcoolismo, por isso o bebê se encontrava abandonado a sua própria sorte. Apesar disso, não tinha sinais muito severos de desnutrição, embora apresentasse alguns parasitas comuns nos cães, por isso pode-se intuir que essa não era a primeira vez que o menor se alimentava na cadela.

De acordo com os vizinhos da oficina, a mãe se mudou sozinha com o menor e viviam no local fazia aproximadamente um mês.

O bebê foi levado ao hospital, onde se constatou que não apresentava desnutrição, embora este apresentasse evidentes sinais de abandono. A polícia pôde comunicar-se com o pai do menino, que trabalha em outra cidade, ele se apresentou no hospital e manifestou suas intenções de ficar com a criança.

A mãe será denunciada por abandono e enfrenta, não só a perda da custódia do menor, mas também o cumprimento de uma pena de até cinco anos de cadeia.

Apesar da dramaticidade desta história, que reflete exatamente do que os humanos são capazes, também se evidencia muito o que fica para nós aprendermos com os animais.

De acordo com o informado pela polícia, devido à omissão contínua de cuidados por parte da mãe e da falta de recursos para alimentar o pequeno apropriadamente, presume-se que o bebê poderia ter morrido se não fosse pela ajuda da cadela Rainha, que lhe deu de mamar.

Entretanto, o mais curioso desse caso é que a cadela não era da mãe do bebê, mas sim, da vizinha que fez a denúncia. A denunciante começou a notar um comportamento estranho na cadela, que desaparecia durante horas de sua moradia e voltava com sinais evidentes de esgotamento.

Foi então que a dona decidiu segui-la e saber onde ela se escondia todo esse tempo, até que se deu conta de que a cadela, durante as madrugadas, dava de mamar ao bebê.

Apesar do valoroso ato da cachorrinha Rainha, o leite canino pode prejudicar os humanos, pois contém parasitas que podem se alojar no sistema nervoso.

Entretanto, devido ao bebê ter sido exposto a curtos períodos de lactação, ele sobreviveu, pois esse leite contém um nível superior de proteínas comparada com o leite materno, o que o manteve a salvo da inanição.

Felizmente, esse pequeno contou com um outro pequeno anjo de quatro patas, que pôde se compadecer de seu sofrimento e aliviar a fome que o bebê tinha, coisa que sua própria mãe não foi capaz.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informação Meus Animais Foto: Pinterest.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!