Aqui se faz, aqui se paga, todos sem exceção irão saldar seus débitos ou receber seus créditos…

Bem queridos leitores este título é por si só autoexplicativo, pois me refiro ao mecanismo de equilíbrio de evolução vigente no planeta, este é o sistema pelo qual os seres humanos estão evoluindo.

Alguns evoluindo mais lentamente, outros mais rapidamente mas todos evoluindo sempre, cada um no seu tempo e todos subordinados a mesma lei universal.

A lei de causa e efeito tão falada, repetida exaustivamente, cantada em verso e prosa por milênios e exposta ao conhecimento do grande público, ainda assim incompreendida, ainda assim muito pouco observada, respeitada e seguida.

Sim, a ignorância das leis universais, das leis espirituais é assustadora, a maioria esmagadora da grande massa humana ainda permanece perdida no mundo das ilusões do egoísmo materializado, do mundo onde levar vantagem sobre o outro é considerado sinal de superioridade, esperteza, inteligência.

Essa grande maioria não consegue perceber que o sofrimento que ora lhes acomete é tão somente o que significa o título deste artigo, “Aqui se faz, aqui se paga”…

É a lei pura de Deus para a humanidade, é a lei que potencializa quem você é em essência, a lei que potencializa o sentimento dominante em seu coração.

Portanto se a lei é assim, é fácil chegar a conclusão que aquela minoria de seres humanos com esclarecimento espiritualizado, universalizado da lei de Deus, que compreende e segue obedecendo este princípio e potencializando o bem, o amor, o perdão, a gratidão, o altruísmo, a fraternidade e a igualdade também verão potencializados nessas qualidades e receberão seus créditos que multiplicados pela lei universal irão causar bem estar, alegrias, felicidades e uma paz de espírito muito elevada.

O grupo citado no início do artigo, os ignorantes das leis de Deus, seguirão passo a passo, evoluindo sim com certeza porque evolução é para todos, porém terão de administrar os efeitos causados em suas vidas por seus sentimentos, ações, palavras, pensamentos potencializados e sentirão na própria carne, na própria alma o dissabor que causaram a outros!

Terão eles que aprender por si próprios que não se pode causar mal a outros sem causar mal a si, isto é simplesmente impossível.

Não se enganem, já estamos vivendo o tempo da transição planetária para a mudança vibracional mais elevada da humanidade previsto pelas hierarquias divinas, é tempo de despertar ou de adormecer profundamente anestesiados por si próprios.

É chegada a hora, quem for bom, vai ficar melhor ainda e quem for mau vai piorar, esse será o grande diferencial da humanidade, os bons e os maus serão separados por suas próprias incompatibilidades vibracionais de existir respirando o mesmo ar, dividindo o mesmo campo magnético, co habitando os mesmo lugares, tanto na terra como nos mundos dimensionais da vida fora da matéria.

É hora de focar no coração, nos sentimentos latentes que lá habitam, que irão guiar nossos pensamentos, palavras e ações que irão potencializar nossas vidas concedendo a cada um de nós conforme nossos merecimentos.

Plantemos a boa semente nesta terra fértil dentro de nós, para que possamos colher os frutos tenros e doces que a oportunidade de viver concedida por Deus nos oferece.

Não culpem a ninguém por seus sofrimentos e nem depositem responsabilidades nos outros por suas alegrias, tudo simplesmente tudo vem de nós mesmos sempre…

Ser feliz ou sofrer é sempre uma opção de cada um de nós.

Façam suas escolhas…

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




João Luiz Spósito
João Luiz Spósito, nascido em Niterói RJ e radicado em Brasília. Desde 2007 desenvolve atividades na diretoria do Espaço Terapêutico Portal Via Luz em Brasília.Terapeuta Reikiano. Médium espiritualista cristão especializado em cura desobsessiva desde 1998. Trabalha com aconselhamento em casos terapêuticos mais delicados, onde a origem espiritual se faz mais presente. Conhecimentos em radiestesia, homeopatia e terapias energéticas variadas atuando nos corpos sutis: emocional, mental e espiritual. Escritor e palestrante .