Aprendi a me perdoar, aprendi a ver tudo com outros olhos. Hoje eu trouxe para mim as memórias que possuem cheiro, possuem cor, possuem valor. Fiz uma prece e pedi para Deus cuidar bem de mim e de quem precisa de luz.

De repente, eu senti o cheiro da infância agasalhando meu peito, me senti querendo voltar pra casa mais resignada e menos dura comigo mesma, sem lamentar as perdas e ganhos, sem querer dramatizar tudo que já passei, senti e que com coragem vivi.

Aprendi a me perdoar, aprendi a ver tudo com outros olhos.

Eu aceito e agradeço o agora, acreditando na Providência Divina, no deslanchar das emoções, na semeadura do coração.

Hoje o dia parece tímido, mas a vida encosta na alma.

E tudo é tão raro que me vejo dentro de um dia comum sendo abençoada pelo alto.

Perdoar remove montanhas

A fé me levanta e toda sensação de melhora é sinal de cura e de sustentação espiritual.

Tem dias que o coração busca abrigo, busca reviver sentimentos bons.

E eu sei que tudo está como deve ser.

Respeito e aguardo o destino sinalizar o próximo passo, o próximo sonho, o próximo entrelaçar de caminhos.

Enquanto isso, acalmo a pressa e paro de dizer não ao sim que mereço, e preciso.

Porque hoje, aprendi a perdoar a mim e a todos que me feriram, e por ter me disposto a isso, me sinto curada.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.