Aprendemos a dar valor a vida quando passamos a sentir a presença de Deus em tudo, mas principalmente… dentro de nós!

A maioria das pessoas vive no automático, sentindo pequenas alegrias de vez em quando. Com o passar dos anos vem a necessidade de algo mais, e percebem que precisam buscar cada vez mais alegrias para se sentirem vivos de verdade.

Porém, esses momentos de sorrisos instantâneos, que logo desaparecem, passam a não mais satisfazer as suas vidas, acordam no intuito de conquistarem riquezas materiais e trabalham de sol a sol, mas nem tudo aquilo que o dinheiro pode pagar, nem a fama, nem o sucesso trazem a completude que tanto buscam, e passam a viver uma vida com propósitos rasos, que os tornam insatisfeitos e vazios, insatisfação essa que, os leva a questionar o real sentido da vida.

As Igrejas, os cultos e as diversas manifestações religiosas estão lotadas de pessoas que buscam constantemente esse “algo mais” que fará as suas vidas valerem a pena! Mas só quando passamos a sentir ou quando aprendemos a sentir a real presença de Deus, a vida passa a ter um propósito de verdade!

Para Deus se fazer presente em nossas vidas não se faz necessário crer em uma figura paterna, patriarcal, ou religiosa, é preciso apenas que aprendamos a nos compadecer e ajudar a quem nos solicita, ou a quem identificamos as necessidades imediatas! Esse alguém a ser ajudado pode ser nós mesmos!

Devemos nos perguntar diariamente: “O que eu posso fazer para me ajudar hoje?”.

Para tanto, devemos aprender a ser caridosos primeiro conosco! Devemos aprender a amar quem somos, para podermos, posteriormente, amar os outros!

“Fora da Caridade não há salvação” – Allan Kardec

Quando sentimos que já estamos prontos, inteiros no amor, podemos estender a mão a quem se encontra em queda vertiginosa, e quando assim fizermos, nos sentiremos felizes, e completamente úteis! Essa felicidade e o bem estar do outro, nos fortalecerá imensamente, e nos alegrará de forma contagiante, nos trazendo plenitude à alma!

Porém, quando nos colocamos em ação bondosa não devemos apontar os erros alheios, e nem nos portar como donos da verdade! Já que a dor que o outro sente já é o bastante! Devemos apenas nos inclinar ao serviço e nos colocar a disposição, sem esperar nada em troca, muito menos, o “reino dos céus”!

A ação caridosa nos retorna emoções valiosas que comumente faremos uso em nossas próprias vidas terrenas!

Nunca devemos forçar o outro a receber uma ação que para nós é benéfica porque para ele pode não ser!

Muitos tentam ajudar e acabam atrapalhando! Por isso é preciso que a pessoa primeiro se ajude, para depois tentar ajudar uma outra pessoa!

Aquele que sofre pede pequenas alegrias em conta gotas e, precisa as consumir frequentemente para tentar manter o mínimo de equilíbrio, já que ainda desconhece que a vida é a presença de Deus!

Mas ele não sabe que a felicidade que tanto precisa está na luz interior que ele ainda não consegue acessar, que é mais conhecida nos meios religiosos como: DEUS, mas destorcida em suas personificações, de religião para religião.

Muitas pessoas acreditam já ter acessado Deus!

Afirmam que já o conhecem, “mais do que ninguém”, porém, continuam em sofrimento lamurioso e agindo de maneira ingrata, ostentando riquezas, maldizendo o próximo, e emitindo vibrações e pensamentos destrutivos.

Lembrem-se: Dizer que conhece a Deus melhor do que qualquer outra pessoa no mundo, não se valida, se a atitude perante a vida disser o contrário!

Se as atitudes demonstram rancor, ódio, inveja, mágoa, raiva, e tantas outras expressões negativas, se o perdão e o amor ainda não lavaram a alma, infelizmente, as cascas e as máscaras que envolvem essa pessoa ainda não permitem que ela sinta verdadeiramente a presença de Deus.

Ela pode já ter visto uma luz, já ter recebido uma benção, mas para viver na, e sentir a presença de Deus constantemente é preciso vigiar e orar constantemente!

Uma pequena luz é capaz de dissipar as trevas dos pensamentos e as mazelas das emoções em frangalhos!

Para sentirmos a presença de Deus e permanecermos nela precisamos estar certos de que a vida só se realiza com verdade quando nos permitimos fazer parte “daquilo” que nos criou!

Quando não o buscamos fora, mas sim, dentro de nós! E quando passamos a senti-lo também nos outros, nas coisas e nas situações, nos alegramos e percebemos que a vida vale muito a pena! Pois não existe separação entre nós e Deus! Ele é onipresente, onisciente e onipotente, justamente porque não é humano, não é uma coisa, não é nada que conhecemos… É o completo desconhecido que vive em nós!

“A vida é a presença de Deus” Emmanuel

Quanto mais fugirmos daquilo que energeticamente se encontra dentro de nós e nos faz vivos, que nos motiva a diferir o certo do errado, o bem do mal, a caridade do egoísmo, que nos inclina a dissolver o ódio e nos direciona ao amor e ao perdão, mais nos sentiremos insatisfeitos com a vida, e menos daremos conta de agradecer os nossos avanços e o que já conquistamos!

Pois…

A gratidão nasce nos corações dos satisfeitos, dos que já sentem a presença de Deus em suas vidas!

Mas existe um acesso direto a Deus, e é possível senti-lo!

Sabe como? Através da bondade e do silêncio interior.

Quando nos colocamos na intenção de identificá-lo em nós, crescemos aos nossos olhos e aos olhos dos outros, pois nos tornamos pessoas melhores. Ao passo que a cada novo dia, a nossa vida se edifica, e a cada nova palavra dita, edificamos a vida de quem precisa de mais do que alegrias homeopáticas… De quem constantemente clama pela felicidade verdadeira.

E é aí, no instante em que sentimos a presença de Deus em nós e em tudo que existe, que a vida passa a valer realmente a pena!

É aí que a vida mostra seu real propósito!

Mas para senti-lo e permanecer em sua presença é preciso seguir o propósito que se encontra no amor verdadeiro.

Quem já vive na presença de Deus assumiu o propósito do amor em sua vida, e sabe que só quem promove o bem com atitudes amorosas consegue sentir a felicidade plena!

Fora do amor, a felicidade escapa pelas mãos, e se torna efêmera, ilusória, levando muitos a viver uma vida de oscilações, entre alegrias passageiras, e tristezas homéricas!

Para viver na presença de Deus e senti-lo é preciso ser bom o tempo todo!

Mas ser bom não é ser bobo não, não é ser bonzinho enquanto fazem o mal a você, é apenas não desejar mal a ninguém, não espalhar maledicências, não provocar situações que ferem, e fazer o bem quando for possível!

Seguir firme nesse propósito inicial já será um bom começo!

Aos poucos a presença de Deus começará a transbordar de dentro de você para o mundo ao seu redor! E a felicidade que você sentirá será imensurável, e completamente, contagiante!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!