Eu não sei qual é a sua religião. Eu nem sei se você tem uma. Não importa. Eu só acho que as pessoas que vivem de acordo com algum tipo de fé religiosa, como eu, precisam fazer um exercício diário para se lembrarem do que significa a palavra religião.

Ela vem do latim “religio”. Quer dizer respeito, reverência. Coisa rara num tempo de tanto desrespeito, de tanta falta de religião entre nós.

Acho bonito quando a etimologia popular atribui o significado de religião ao latim “religare”, dando conta de que as religiões religariam as pessoas a Deus e a elas mesmas, reunidas para trabalharem juntas, ajudarem umas às outras e a quem mais precisar.

Ainda que essa versão não seja verdadeira do ponto de vista etimológico, leva consigo uma verdade encantadora. As religiões deviam aproximar as pessoas. Não afastá-las.

Religião quer dizer respeito. No fim, tudo se fundamenta nisso. Todos nos religamos e abraçamos no significado da palavra.

Onde há ódio e intolerância, maldade e selvageria a religião não está. Em qualquer lugar onde não exista respeito entre as pessoas não há religião.

Religiosos são seres que têm respeito. Respeito que nos religa uns aos outros.

Assim, as pessoas realmente religiosas se congregam e coadunam por seus valores, seus princípios, sua disposição para a caridade, sua fé. Inclusive as que têm crenças diferentes.

Quem acha que a sua religião é mais importante que a do outro, cá entre nós, tem nada além de um espírito arrogante e egoísta. Não tem “religio”, não tem respeito pela crença dos outros. Não tem religião.

Deus é um só, minha gente. O divino a que todos nós religiosos aspiramos é o mesmo. É a Ele que fazemos reverência. É a Ele que se voltam a minha religião e a sua, não importa quais sejam.

Eu não sei qual é a sua religião. Eu nem sei se você tem uma. Não importa. Se você e eu nos respeitamos um ao outro, é o que basta. Estamos juntos, religados, reunidos, celebrando a Deus e vivendo em paz.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




André J. Gomes
Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.