A pior dor é aquela que o coração insiste em não deixar passar.

A dor da saudade, da angústia, do sofrimento extremo.

Tudo tem seu tempo, sabemos.

Mas insistir pra que isso se torne algo corriqueiro, é masoquismo, é falta de força de vontade de superação, é falta de aceitação.

Se vitimar não vai mudar a realidade.

Ou cada um fecha os olhos e ignora o restante à sua volta, ou vai pra vida e dá a cara pra bater.

É necessária a convalescença, mas também é necessário abrir o coração sabendo que muita coisa já não será como antes.

É assim que nascem novos desafios e novos pensamentos de força e coragem para que os pés se encaminhem para seu novo horizonte.

Quando a gente se detém, a vida fica estagnada, as emoções se acumulam, os sentimentos se desnorteiam.

É preciso reaprender a viver.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.