Uma pessoa que vive o presente nunca desenvolverá ansiedade, mas uma pessoa que se preocupa excessivamente acaba desenvolvendo um padrão mental negativo que a faz temer tudo e todos, pois está vivendo um futuro que nem existe, diz o TAO.

Para a filosofia taoísta existe uma forma mais eficiente e menos sofrida de viver.

É sabido que existem graus ou níveis diferentes de ansiedade em cada pessoa. O estresse no trabalho, a preocupação com o futuro, a instabilidade política e nos relacionamentos familiares pode levar muitas pessoas a uma rotina estafante e a uma sobrecarga mental originada da mania que muitos tem em viver no futuro. E é dessa necessidade em controlar e prever o futuro que a ansiedade nasce e encontra abrigo.

Na visão do TAO, essas e outras enfermidades mentais podem ser definitivamente superadas com um trabalho intensificado no intuito de aprender a direcionar a sua atenção plena para o momento presente.

Para conseguir viver o presente eles sugerem que todas as pessoas que desenvolverão a ansiedade prejudicial, que elas comecem a praticar a meditação diariamente, dependendo do nível ou grau que se encontra, e a força negativa que impõe as suas vidas, essa prática deve ser intensificada para duas ou 3 vezes ao dia. Ou, sempre que houver necessidade em voltar para o momento presente.

Para eles essa é a chave que faltava para viver uma vida plena sem angústia e sem ansiedade.

O TAO te trará de volta para a vida real

Quando a nossa realidade é desafiadora e desestimulante, acabamos desenvolvendo um mecanismo de proteção que nos leva para o passado, ou para o futuro, se o passado foi doloroso e nos mantemos lá, a depressão nos assola, e na tentativa de se livrar dessas lembranças, e de escapar da realidade atual, muitos optam por viver a angustia do futuro, a incerteza, o que não podemos prever.

E é nessa angustia que acabam incutindo a vida, nessa imprecisão e principalmente no medo que nasce por não poder mensurar o desconhecido.

Nossa insistência em permanecer seguro, em tentar controlar a vida, como se fossemos os grandes maestros, nos faz perder totalmente o controle. Note que a vida te mostra por A mais B que aqui não temos controle de nada, nem mesmo das nossas emoções, que podem nos causar mais transtornos do que benefícios caso obtemos por negligencia-las.

O TAO explica a essas pessoas controladoras e que vivem na angustia e no medo que a mudança deve ser aceita e considerada imprescindível, pois ela é sempre constante. E afirma para os que ainda insistem em permanecer com as mentes focadas lá na frente, que o futuro não existe.

A partir do momento que a pessoa ansiosa começa a despertar para a necessidade de viver o presente, mesmo que esse presente seja desafiador e repleto de dificuldades, e busca ajuda da meditação para se sentir inteiro e encontrar soluções para aquilo que acontece agora, os sintomas de ansiedade começam a regredir.

Quando se fala que a ansiedade é o mal do século, e que a tendência é aumentar muito o número de pessoas com a doença, devemos pensar o motivo de isso estar acontecendo em grande escala.

E o TAO nos explica que enquanto as pessoas continuarem negligenciando as suas emoções, os seus traumas, e os seus sentimentos, vivendo em outro estado mental que não no aqui e agora, as coisas infelizmente não serão melhores.

O famoso tradutor da filosofia Alan Watts, publicou o livro “A Sabedoria da Insegurança: Uma Mensagem para uma Era de Ansiedade”, e identificou que o responsável pela crescente ansiedade que se abateu sobre todos os indivíduos, é a preocupação crônica.

Foto: Divulgação Alan Watts

Para ele a necessidade de se criar ideias a respeito da realidade, de formular hipóteses e de projetar acontecimentos negativos em um futuro, que a mente ainda desconhece, é o fator predominante para que se formate uma personalidade ansiosa. Em outras palavras, nossas ilusões e imaginações criam pensamentos que são divorciados da realidade que se obtém da experiência.

Essas teorias e hipóteses que criamos sobre uma realidade que não vivenciamos ainda, faz com que o futuro comece a assumir “um alto grau de realidade – tão alto que o presente perde seu valor”, como diz Watts.

Para aqueles que seguem a filosofia taoísta acabar com a ansiedade é tarefa de quem decide mudar sua forma de ver a vida presente. Para isso, devemos reformular e ressignificar nossa maneira de pensar os eventos futuros.

O viciado em ansiedade deve estar se preocupando agora com o tempo que ele vai ter que dispor para fazer essas atividades do TAO, em quanto isso vai custar, e quanto tempo demorá para ele obter um resultado.

Essa forma de pensar gera a preocupação crônica, e essa preocupação gera as crises de ansiedade.

O que parece estar sendo um mecanismo do cérebro para te ajudar a resolver certos problemas e questões da vida real, na verdade, é um fantasma que te puxa cada vez mais para o buraco, e quanto mais você o percebe, mais ele corre a sua frente, e mesmo assim, você não aceita perder o controle e não percebe que a ansiedade só te deixará em paz quando você aprender a viver em paz.

Quando você aprender a se livrar dos pensamentos negativos e das preocupações com o futuro, a se desapegar da vontade de controlar tudo e todos e simplesmente viver, sem especulações, sem achismos, sem ideias pré-concebidas ou preconceituosas… Apenas confiando no Universo e naquilo que ele te ensinará a cada novo acontecimento que surgir em sua vida.

Desista de fugir das suas sombras internas e se abra para aprender o conceito de wu-wei

Wu-wei significa, literalmente, “sem esforço” e foi retirado de um livro repleto de sabedoria chamado O Tao Te Ching de Laozi.

“Se você tentar mudar isso, você vai estragar tudo. Tente segurá-lo e você o perderá.”

Wu-wei nos ensina que não devemos lutar contra os acontecimentos presentes, devemos apenas acatá-los e aprender com eles, com calma e resiliência, encontrando soluções pacificas e amorosas, e deixando o futuro no lugar dele, onde ele deve ficar, no futuro, criando o presente como um presente fabuloso, de aprendizado constante, de gratidão por estar vivo, por poder aprender a se melhorar como ser humano.

Um ser humano ruim emite vibrações e pensamentos prejudiciais a ele mesmo, e a sua ansiedade pode ser considerada devastadora se a sua preocupação excessiva atrapalhar a vida daqueles que você diz amar.

Ninguém é responsável pelos seus sentimentos e pensamentos destrutivos e que beira a calamidade pública, a não ser você mesmo!

Busque ajuda no Tao ou nas filosofias orientais, e pare de se preocupar com aquilo que não te diz respeito, ou com o que não poderá ser modificado.

Entregue a sua vida e a vida dos que você ama e confie, tudo está certo, tudo é como deve ser, e como tem que ser. Assim é!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!