A minha religião é a paz. É a religação com tudo que me ensina a ser alguém melhor.

É onde o silêncio diz, onde a consciência descansa sob a proteção de forças que estão além de mim.
É a hora sagrada de estar a sós com o universo e agradecer pelos momentos vividos.

É quando eu fecho os olhos e peço para as forças ruins deixarem meu espaço deixarem minha casa, me aliando ao bem.

A minha religião vem das coisas que já passei através das provas que recebi tendo a coragem de continuar mesmo estando à mercê das dores, mesmo estando muitas vezes sem esperança na alma.

Ela vem da fé que me mostrou a vida de modo diferente, das mudanças de atitude e da forma como eu me posicionei diante das coisas que estava vivendo enxergando o lado de dentro me protegendo internamente.

Vi que de nada adianta um lado externo bonito, de nada adianta um lado externo vaidoso e cheio de orgulho se dentro é onde tudo acontece, onde tudo pode de repente, ruir.

Sejam emoções, sentimentos, pensamentos. Seja qualquer coisa que me busque e me derrube sem que eu tenha forças para lutar, sem entender o que se passa aqui dentro.

A minha religião é a honestidade, é a sinceridade que mostra a cura que sinto em cada gratidão por ter me libertado de tantos obstáculos tendo aprendido a tecer mais coragem no peito e a dizer às coisas que penso com elegância e ao mesmo tempo sendo clara no que decidi.

Muita coisa denota tempo, muita coisa denota estudo, conteúdo, atitude, aprendizado e paciência.

Sou humana, mas além de tudo sou um ser enviado por Deus para cumprir a missão aqui.

Mantenho essa religião independente do que cada um acredita.

Esse foco de luz que muitas vezes ressurge envolvendo minha alma me levando para frente é sinal de que não quero dar passos para trás e nem quero atrasar o meu futuro que viaja no meu presente.

Estou vivendo com os pés no chão, com a responsabilidade de quem tem que cuidar da própria vida com amor e compreensão.

A minha religião é onde encontro o caminho das pedras e também o caminho da elevação espiritual.

É onde prefiro subir e alcançar voos maiores de entendimento.

Já caí muitas vezes e muitas vezes também me ajoelhei. Mas há sempre os dias que mudam, as voltas que a vida dá, a Lei do Retorno e a cura benéfica.

A minha religião é o que busco dando um sentido para a vida.

E viver por mais que seja complicado, por mais que seja cheio de altos e baixos, é algo intransferível e pessoal.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Sil Guidorizzi
Sou Paulista, descendente de Italianos. Libriana. Escritora. Cantora. Debruço-me sobre as palavras. Elas causam um efeito devastador em mim. Trazem-me â tona. Fazem-me enxergar a vida por outro prisma. Meu primeiro Livro foi lançado em Fevereiro de 2016. Amor Essência e Seus Encontros pela Editora Penalux. O prefácio foi escrito pelo Poeta e Jornalista Fernando Coelho. A orelha escrita pelo Poeta e jornalista Ivan de Almeida. O básico do viver está no simples que habita em mim.