A forma como você reage quando é atacado revela a sua maturidade, ou a falta dela.
Decidir como responder quando atacado verbalmente pode fazer a diferença entre uma discussão construtiva e um conflito com repercussões inesperadas.

É claro que comentários ofensivos, palavras ofensivas e críticas maliciosas nunca são bem-vindos, mas se você simplesmente reagir sendo por impulso, em vez de agir com inteligência, a agressividade provavelmente aumentará e queimará as pontes de compreensão.

O que fazer? O que dizer?

É melhor ficar em silêncio ou responder?

Os psicólogos concordam: quando você é atacado verbalmente, você precisa se defender. Palavras podem magoar e causar grande desconforto, por isso você não deve permitir que outras pessoas o insultem, humilhem, gritem ou pisem em você. No entanto, defender-se não significa afundar na lama da raiva. Existem respostas muito mais inteligentes, assertivas e, acima de tudo, que protegem o seu equilíbrio mental.

Como responder quando você é atacado sem perder o controle?

Diz-se que um dia Cato, o Jovem, um filósofo estóico e político romano, estava defendendo um caso quando seu adversário Lentulus cuspiu em seu rosto. Implacável, Cato disse:

“Eu juro para qualquer um, Lentulus, que as pessoas estão erradas ao dizer que você não pode usar a boca.”

Esta citação histórica mostra a enorme diferença entre uma pessoa que se deixa levar pela raiva dos outros e uma pessoa inteligente que mantém o controle da situação, resolvendo o conflito a seu favor com serenidade e até mesmo uma dose de humor.

Para responder como Cato, você precisa seguir estas três etapas:

1. Controle o primeiro impulso respirando e contando até dez antes de responder

Quando você se sente atacado, seu primeiro impulso é se defender e revidar. É normal. No entanto, geralmente não é a solução mais sensata e inteligente. Portanto, se quiser responder quando for atacado, em vez de apenas reagir, você precisa aprender a controlar essas primeiras emoções.

Quando você é atacado verbalmente, seu cérebro percebe essas palavras como uma ameaça, então dispara todos os alarmes. Os primeiros segundos são essenciais para evitar um sequestro emocional e perder o controle, de modo que você acabe dizendo ou fazendo coisas das quais se arrependerá mais tarde.

Respirar profundamente é uma estratégia eficaz para acalmar suas emoções. Respirar é como um “freio de mão” que diminui a frequência cardíaca e a pressão arterial, sinalizando para o cérebro que tudo está sob controle. Portanto, antes de responder quando for atacado, é fundamental que se recomponha respirando e contando até 10.

2. Crie um escudo protetor marcando uma distância psicológica

As emoções são contagiosas, especialmente em situações estressantes. Capturamos inconscientemente as emoções das pessoas ao nosso redor porque elas servem como sinais de alarme de que algo está errado.

Na verdade, diversos estudos têm mostrado que somos capazes de perceber o cheiro da ansiedade e do estresse alheio, o que influencia nosso comportamento sem que percebamos.

Portanto, em uma discussão ousada, é fácil ficarmos com raiva ou frustrados de nosso interlocutor. Assumir uma distância psicológica nos permitirá criar um escudo protetor para não cair nas redes de emoções de outras pessoas. Isso nos ajudará a pensar que não é um ataque pessoal ou a ter consciência de que a pessoa que nos atacou tem um problema de hostilidade.

3. Retome o controle da situação

Se, ao ser atacado verbalmente, você responder com equanimidade, estará no controle da situação. Use um tom de voz firme, mas não fique muito animado.

Tenha cuidado para não cair em insultos e desqualificações, pois assim você estará entregando o controle à outra pessoa. Lembre-se de que quem perde seus papéis também perde o controle.

Em vez disso, use frases curtas e concisas. Em momentos de raiva, frases curtas e diretas ao ponto são mais eficazes e fáceis de entender, além de evitar interpretações errôneas.

Intercalar um elogio ou palavras positivas também pode ajudar a acalmar as coisas.

Em muitos casos, é útil tentar entender por que essa pessoa está atacando você, para que você possa investigar seus motivos.

Você pode perguntar: Qual é o problema especificamente? O que o incomodou? Por que você acha isso?

Você provavelmente descobrirá que tudo se deve a um mal-entendido ou que pode esclarecer a situação sem levantar o tom.

De qualquer forma, se você perceber que seu interlocutor está muito animado para manter um diálogo minimamente construtivo, geralmente é melhor interromper a conversa e dizer-lhe que, até que ele se acalme, você não vai continuar a ouvir.

Se a pessoa não ceder, é melhor você ignorá-la e ir embora, para retomar a conversa em outro momento. Isso se chama maturidade!

Fontes: Haegler, K. et. Al. (2010) Sem medo, sem risco! O comportamento de risco humano é afetado por sinais de ansiedade quimiossensorial. Neuropsicologia ; 48 (13): 3901-3908. Prehn-Kristensen, A., et. Al. (2009) Indução de Empatia pelo Cheiro de Ansiedade. PLoS ONE ; 4 (6).

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações RT Foto de engin akyurt no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Seu Amigo Guru
Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!