Para as velhas almas, viver de acordo com esses princípios é um indiscutível sinal de sucesso e o mais verdadeiro que existe.

1. Eles não vêem o sucesso como um destino que precisam alcançar até uma certa idade.

Ao contrário, eles intuitivamente sabem que o sucesso real é criar uma vida que os libere dos confins de tentar alcançar medidas externas de mérito em algum conjunto arbitrário de regras.

As velhas almas acreditam que o verdadeiro sucesso chega para quem possui um conteúdo interno rico. Não importa o quão distante você esteja de um determinado destino. Para eles, o sucesso não é estabelecer objetivos a alcançar, mas sim, ter uma paz interna que não depende do que está acontecendo externamente.

2. Eles não estão inclinados a pensar que o sucesso é trabalhar duro, produzir trabalho 24 horas por dia, 7 dias por semana, e provar que os outros estão errados com níveis de produtividade sobre-humanos.

Em vez disso, eles acreditam que o sucesso é gerenciar cada área de suas vidas de maneira equilibrada e priorizar o bem-estar emocional acima de sua imagem externa de competitividade que outros gostam de exibir na sociedade. Eles entendem que nada de bom pode resultar de trabalhar às custas da própria saúde apenas para esconder feridas não curadas que vêm de inseguranças persistentes.

3. Eles sabem muito bem que o objetivo de ser altamente elogiado após a morte, exceto por alguns entes queridos, é apenas uma meta vã, então seu trabalho significa mais para eles quando são capazes de causar um impacto no presente, criando valor, em vez de visar algo monumental que seria elogiado pelas gerações futuras.

Eles estão em paz com o fato de que a falta de grandeza em seu legado não determinará quão bem eles viveram suas vidas. Em vez disso, eles apenas se concentram em como podem viver plenamente agora.

4. Eles buscam melhorar suas vidas para nutrir seu espírito interior, não porque tenham uma visão de ponta a cumprir com o objetivo final de se tornarem mais orgulhosos ou validarem sua existência para pessoas que só se preocupam com a próxima grande coisa que vão fazer.

Tudo o que eles buscam é manter a paz interior. Qualquer outra coisa que não se alinha com esse propósito não vale a pena gastar tempo.

5. Eles não são multitarefas, porque eles dão a cada tarefa sua atenção e gostam de passar tempo de qualidade em tudo o que eles estão focando no momento. Eles não vêem a realização de várias coisas ao mesmo tempo como sucesso.

Em seus estudos, eles gostam de ler o assunto que estão estudando, em vez de ler trechos dele enquanto tentam atualizar o Instagram, responder a alguns e-mails ou responder a vários textos de uma só vez.

Em seu trabalho, eles gostam de se concentrar em um projeto de cada vez e criá-lo na melhor versão possível, em vez de trabalhar em vários projetos de uma só vez como uma fábrica humana.

Apesar de a sociedade e a maioria dos empregadores colocarem multitarefas em um pedestal, as almas mais velhas sabem que a multitarefa é insustentável, distrai e prejudica o crescimento. Eles só vêem a multitarefa como gratificação instantânea e nada mais.

6. Em vez de ver contratempos como obstáculos, eles vêem revezes como oportunidades para crescer mais esclarecidos.

Eles sabem que contratempos são lições de vida que os ajudam a ensinar o que a humildade realmente significa e como a rígida definição da sociedade de grande sucesso não é o que eles deveriam visar porque isso os faria fechar os olhos ao fracasso e ao sofrimento dos outros.

Eles entendem que vão fracassar e sofrer muitos contratempos, mas em vez de reclamar sobre o quanto falharam, transformam essas experiências em verdades esclarecedoras que os ajudariam a se tornar mais autoconscientes, humildes e empáticos com aqueles que não são possuem a mesma visão do mundo.

7. Eles estão mais motivados para criar algo bonito fora da dor, em vez de perseguir o que lhes traria mais conforto.

Quando sentem uma grande dor e estão cientes da dor dos outros, querem seguir o trabalho que faz mais pelo mundo do que pagar por um estilo de vida consumista.

Eles sabem que não estão aqui na terra apenas para cumprir alguma agenda capitalista ou mostrar o quanto trabalham. Em vez disso, eles querem criar um sentido em tudo que fazem, preencher um vazio que não pode ser preenchido com itens materiais e curar aqueles que sofrem com a falta de apoio emocional.

8. Eles estão apaixonados pelo trabalho criativo e com alma que fazem, não com a ideia do que o trabalho deles pode lhes dar.

As velhas almas são seres altamente criativos que valorizam a auto-expressão honesta em alinhamento com seus valores centrais em prol da paz interior e da realização pessoal, não porque querem que outras pessoas os aplaudam por isso.

Eles não buscam algo apenas porque parece divertido ou porque alguém com uma história de sucesso popular é capaz de fazer milhões dele.

Mesmo quando eles experimentam fracassos e adversidades, eles sempre se levantam novamente e continuam trabalhando sem sentir que estão ficando para trás porque não vêem o sucesso como uma maneira de ver quem pode correr para o topo no menor tempo possível. Eles não perdem o sono pelo fato de não terem conseguido entrar na lista dos 30 mais, abaixo dos 30 anos.

9. Eles acreditam que buscar a grandeza como meio de consertar seus conflitos internos não resolvidos só exacerbará as inseguranças e aprofundará o vazio interior.

Eles deixam de lado a ideia de grandeza e se concentram em apreciar as menores e mais simples alegrias que podem alcançar a cada momento que passa.

Eles sabem que qualquer coisa que façam por orgulho e inveja só os fará perseguir a visão de sucesso da sociedade (dinheiro, fama, prestígio do emprego, status social, aprovação dos pais, etc.) pelas razões erradas e deixá-los buscando mais até que não consigam mais acompanhar suas expectativas de aumento.

Eles só vêem esses esforços como sintomas de medo, vazio e falta de amor-próprio. É por isso que eles escolhem buscar o bem-estar holístico imergindo-se no que vem sem esforço, fazendo as coisas mais essenciais que ajudam a alma a se tornar mais consciente dos momentos mágicos da vida e, acima de tudo, permanecendo desapegados às ideias de grandeza que as pessoas altamente cobiçam na sociedade.

Para as velhas almas, viver de acordo com esses princípios é um indiscutível sinal de sucesso e o mais verdadeiro que existe.

** Texto livremente traduzido e adaptado pela equipe do Seu Amigo Guru

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS

COMENTÁRIOS




Christine Chen
Christine é uma escritora minimalista que defende a autoconsciência e o bem-estar holístico. Ela adora ler, escrever no diário, fazer web design, fazer listas, músicas de cantores e compositores, café e matcha. Seu livro de poesia será lançado no início de 2019.