5 segredos para lidar com pessoas que sempre pensam que estão certas

Cansado de bater o rosto na parede? Discutir não é agradável, principalmente quando o fazemos com uma pessoa que não escuta. Aqui, nós o ajudamos a lidar com esses tipos de conflitos.

Quando discutimos com uma daquelas pessoas que pensam que estão sempre certas, é fácil acabarmos exaustos. Encarar o rosto contra uma parede não é agradável para ninguém, muito menos quando essa parede se opõe a nós e nos diz que estamos na defensiva. Portanto, neste artigo, queremos dar a você algumas chaves para lidar com pessoas que sempre acreditam que estão certas.

Desde o início, deve-se entender que é uma questão de inteligência emocional.

Quando uma pessoa permanece na casa dos treze anos sem ouvir os argumentos expostos pelos outros, provavelmente não tem a sensibilidade necessária para identificar o que a outra pessoa está sentindo. Em outras palavras, eles têm uma inteligência emocional subdesenvolvida.

A chave está na inteligência emocional

Isso não é algo que deveria justificar o comportamento do sabe-tudo, mas lança alguma luz sobre o assunto. E é que, de acordo com Marta Krajniak, psicóloga da Farleigh Dickinson University, as pessoas que tendem a controlar excessivamente o ambiente ao seu redor apresentam mais dificuldade em ajustar seu comportamento com certas pessoas.

A psicóloga americana afirma que a baixa inteligência emocional pode ser uma das causas pela qual esse tipo de pessoa não consegue dar o braço para torcer.

Como lidar com pessoas que sempre acham que estão certas

É preciso entender que as relações interpessoais se caracterizam por serem líquidas e de difícil qualificação. Levando em consideração essa característica como parte da maioria dos contextos, queremos apresentar uma série de estratégias que provavelmente o ajudarão a redirecionar a situação:

1. Não diagnostique nenhum transtorno de personalidade na outra pessoa

É verdade que alguns desses comportamentos são típicos de certos transtornos de personalidade, mas isso não significa que a pessoa com quem você está discutindo tenha essa imagem. Portanto, não se preocupe em tentar diagnosticar a outra pessoa. Porque, mesmo que você tenha um transtorno, apontar algo assim é a pior coisa que podemos fazer.

2. Leve em consideração que a outra pessoa tem uma inteligência emocional subdesenvolvida.

Como dizemos, lembre-se de que todas essas situações tendem a ser devido à baixa inteligência emocional . Não queremos dizer que os comportamentos do intransigente são justificados. Talvez seja melhor exibir nossa própria inteligência emocional para que a outra pessoa possa ser infectada.

3. Não se preocupe

Já asseguramos que a pior coisa que se pode fazer nessas situações é ficar chateado ou zangado com a pessoa que está discutindo conosco . Nosso primeiro impulso será esse, mas devemos combatê-lo para que o clima da discussão não se torne ainda mais rarefeito. Mais uma vez, você precisa trazer à tona sua inteligência emocional para ver se algo se aplica à sua contraparte.

4. Considere por um segundo que você pode ser aquele que está errado.

Todas essas ferramentas que oferecemos não significam que devemos parar por um segundo para considerar se somos os errados. Insistimos, não se trata de passar por cima do outro, mas de poder recuar ou adotar uma postura mais prudente quando necessário.

E quem sabe, talvez, em alguma ocasião, você tenha sido a pessoa que estava errada. Não há nada pior do que entrar em uma discussão feia e depois perceber o quão confusos estávamos.

5. Cuide da comunicação

Como tudo na vida, a comunicação é essencial, ainda mais neste tipo de conflito, pois seremos obrigados a dividir o espaço com aquela pessoa. Principalmente se for um amigo ou familiar. Nesses casos, é melhor ter a mão esquerda e estar disposto a ouvir e se relacionar. Você ficará surpreso com quantas vezes poderá concordar com essa outra pessoa.

Como você verá, esses tipos de conflito geralmente estão intimamente relacionados à inteligência emocional. Uma falha importante da outra pessoa pode ser um obstáculo para que ela nos escute. Afinal, esse oponente não consegue entender o que você pode sentir naquele momento.

A falta de inteligência emocional é a causa, mas o desenvolvimento dela pode ser, ao mesmo tempo, a solução para essas situações desagradáveis.

Se mostrarmos nossa própria inteligência emocional nessas discussões, não entraremos no jogo. E, acima de tudo, podemos ser capazes de arrastar a outra pessoa para o campo da empatia e da compreensão.

*DA REDAÇÃO SAG. Com informações LLM

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO SEU AMIGO GURU?

CONSELHOS INSPIRADORES TODOS OS DIAS PARA UMA VIDA PLENA E FELIZ!

RECOMENDAMOS









Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito!